15 de Maio de 2008 / às 02:28 / 9 anos atrás

Argentina leva a Cannes vitalidade de seu cinema

BUENOS AIRES (Reuters) - A Argentina vai apresentar nove filmes na edição 2008 do Festival de Cinema de Cannes, numa clara demonstração da vitalidade de sua indústria cinematográfica, e pela primeira vez em sua história terá dois filmes candidatos à Palma de Ouro.

A quantidade de filmes argentinos convidados também constitui um marco inusitado para o pais, que vai apostar forte em “La mujer sin cabeza”, de Lucrecia Martel, e “Leonera”, de Pablo Trapero, que vão competir na seção oficial.

Martel já é veterana do festival de Cannes, que começou em setembro de 1945 e transformou-se no primeiro evento cultural de importância do pós-guerra.

Natural de Salta, no norte da Argentina, a diretora já competiu em 2004 com “A Menina Santa” e, dois anos atrás, integrou o júri do festival.

Ela vai participar este ano com um filme sobre uma mulher que sofre um acidente rodoviário, num episódio confuso que fará com que sua vida não volte mais a ser a mesma.

Pablo Trapero, autor do outro filme argentino da competição oficial, falou das emoções de competições de cinema.

“Embora seja muito estimulante, muito belo e muito gratificante, participar de festivais, também é muito estressante, algo que gera muita angústia”, disse o diretor de “Mundo Grúa”, que vai competir pelo prêmio maior com “Leonera”.

O filme apresenta o problema de uma mulher que cumpre pena de prisão e que cria seu filho no presídio nos primeiros anos de sua vida.

“Foi algo que me suscitou sentimentos contraditórios, porque discutem-se dois direitos questionáveis: o de uma mãe de estar com seu filho e o de uma criança de viver em liberdade”, explicou o diretor.

Além dos dois filmes que encabeçam a presença argentina em Cannes 2008, o país vai apresentar, fora da competição oficial, “Liverpool”, “Acné”, “Salamandra”, “La Sangre Brota”e “La Extranjera”, além dos curtas “Oír Tu Grito” e “El Reloj”.

Mas a Argentina também estará presente em duas outras produções que, embora não sejam argentinas, tratam da vida de duas das personalidades mais emblemáticas da história moderna do país.

O americano Steven Soderbergh vai levar à competição principal seu longa-metragem “Che”, trabalho monumental de quase quatro horas e meia sobre a vida do guerrilheiro argentino-cubano Ernesto Guevara, protagonizada por Benicio del Toro.

E o cineasta Emir Kusturica vai apresentar “Maradona by Kusturica”, que retrata a vida extraordinária do craque Diego Maradona.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below