11 de Janeiro de 2008 / às 14:50 / 10 anos atrás

Robbie Williams ameaça deixar gravadora EMI, diz jornal

<p>Robbie Williams amea&ccedil;a deixar gravadora EMI, diz jornal. O cantor brit&acirc;nico Robbie Williams amea&ccedil;ou rescindir seu contrato com a gravadora EMI, disse seu empres&aacute;rio ao jornal Times, no golpe mais recente contra a gravadora que foi adquirida por uma empresa privada. Foto do Arquivo. Photo by Tomas Bravo</p>

LONDRES (Reuters) - O cantor britânico Robbie Williams ameaçou rescindir seu contrato com a gravadora EMI, disse seu empresário ao jornal Times, no golpe mais recente contra a gravadora que foi adquirida por uma empresa privada de participações.

O cantor de 33 anos revelou em seu blog que não vai produzir um álbum novo este ano e não voltará a fazer turnês no futuro previsível.

A EMI, comprada pela Terra Firma, já foi abandonada por artistas e bandas como Paul McCartney e Radiohead, entre críticas a seus métodos. As deserções chamam a atenção para as mudanças radicais impostas pela Internet à indústria musical.

Sendo uma empresa que nunca antes se aventurou no setor da música, não se sabe como a Terra Firma vai reagir.

De acordo com o Times, o empresário de Robbie Williams, Tim Clark, disse: "A pergunta é: 'Será que Robbie deve entregar à EMI o álbum novo que está prestes a concluir?' A resposta é 'não'."

"Não temos idéia de como a EMI vai divulgar o álbum. Ela não tem ninguém na esfera digital capaz de dar conta do trabalho. Tudo o que sabemos é que sua equipe de profissionais será dizimada", disse.

"Robbie precisa saber que serviços a EMI é capaz de oferecer a um artista de sua estatura."

Desde que deixou a boyband Take That, Robbie Williams criou uma carreira solo bem-sucedida e já vendeu mais de 50 milhões de álbuns. Ele assinou com a EMI em 2002, com um contrato de valor alegado de 156,5 milhões de dólares, mas suas vendas recentes de álbuns têm sido decepcionantes.

De acordo com o Times, outra das maiores contratadas da gravadora, a Coldplay, está insatisfeita com a saída, esta semana, do chefe de música na Grã-Bretanha da EMI, Tony Wadsworth.

Wadsworth passou 26 anos na EMI e foi responsável por várias de suas contratações mais bem-sucedidas, incluindo Radiohead, Blur e Supergrass. Parte de suas responsabilidades foi assumida por Mike Clasper, ex-executivo-chefe da operadora de aeroportos BAA.

As gravadoras estão tendo dificuldades em compensar pela queda nas vendas de CDs e os downloads ilegais de música pela Internet.

Apesar do aumento dos downloads legais, ele ainda não basta para compensar a receita perdida, e, cada vez mais, os artistas estão optando por fazer turnês, merchandising e inovações online para ganhar dinheiro.

No ano passado o Radiohead lançou seu novo álbum "In Rainbows" na Internet, pedindo aos fãs que pagassem o que quisessem para descarregá-lo.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below