23 de Outubro de 2007 / às 03:04 / 10 anos atrás

Lessing diz que Nobel completa seu "royal flush" de prêmios

Por Mike Collett-White

LONDRES (Reuters) - A romancista britânica Doris Lessing, que ouviu da boca de repórteres reunidos do lado de fora da casa dela sobre ter vencido o Prêmio Nobel de Literatura, afirmou que essa homenagem significava completar-lhe o "royal flush" das premiações literárias.

"Recebi todos os prêmios da Europa, todos", disse, ao sair de um táxi com compras na mão. "Fico muito contente com o fato de ter ganhado todos eles. Formei um 'royal flush"', disse, referindo-se a uma sequência de cartas no jogo de pôquer.

Sentada nos degraus da porta de sua casa, com o telefone tocando sem parar atrás dela, essa enérgica senhora de 87 anos criticou duramente a guerra e contou como certa vez uma autoridade ligada ao Nobel disse-lhe que nunca venceria o prêmio.

"As pessoas que nunca nem ouviram falar de mim vão sair de casa e comprar meus livros", afirmou para cerca de uma dúzia de repórteres e cinegrafistas atulhados no pequeno jardim da entrada da casa.

"Isso é muito bom. De maneira que agora vou ganhar algum dinheiro."

Questionada sobre como havia recebido a notícia a respeito do Nobel, anunciado ao meio-dia (horário de Londres), da quinta-feira, acrescentou: "Agora pouco, quando cheguei."

"Levei meu filho ao hospital. Eu estava lá."

'A SENHORA NUNCA VAI GANHAR'

Lessing revelou como ouviu de uma autoridade ligada ao Nobel, durante um evento na Suécia, que nunca ganharia o prêmio.

"Espero que os modos deles tenham melhorado", disse, referindo-se aos responsáveis pela premiação.

"Você conseguem imaginar a cena? Estava com meu editor sueco em um jantar muito formal. E uma autoridade veio e disse: 'Vim para dizer-lhe que a senhora nunca vai ganhar o Prêmio Nobel'. E eu não tinha perguntado nada", contou.

"Vocês conseguem imaginar uma grosseria dessas? O que eu podia fazer? Eu disse: 'Ah, querido, lamento tanto. Por que vocês não gostam de mim?"'

Segundo Lessing, o próximo livro dela ("Alfred and Emily", Alfred e Emily) fazia duras críticas à guerra e era dedicado aos pais dela, que sofreram muito durante a Primeira Guerra Mundial.

"Escrevi um livro sobre meus pais, que ficaram bastante traumatizados com a Primeira Guerra Mundial, como se não tivesse ocorrido a Primeira Guerra Mundial. Dei-lhes uma vida decente e simples, uma vida sem a guerra", afirmou.

"Já a segunda metade do livro trata do que realmente aconteceu com eles na guerra, algo realmente doloroso se a gente compara o tipo de vida que poderiam ter tido com a vida que tiveram na verdade."

Lessing fez um alerta aos jovens europeus que não experimentaram nenhuma guerra e enviou uma mensagem aos líderes políticos que iniciaram os conflitos de hoje.

"Espero que alguma coisa consiga mudar a mente das pessoas que nos governam, alguma coisa que evite todas as guerras em todos os lugares, porque sei como é isso e vocês não sabem como é isso."

A escritora afirmou que "algumas pessoas muito boas" tinham recusado o Prêmio Nobel no passado. Quando questionada sobre se poderia fazer o mesmo, gracejou: "Não pensei a esse respeito ainda. Você acha que eu deveria recusá-lo? Vou deixá-los e pensar nisso com muita seriedade agora, tá bom?"

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below