Prêmio Turner de arte destaca cidade natal dos Beatles

quinta-feira, 18 de outubro de 2007 13:31 BRST
 

LIVERPOOL, Inglaterra (Reuters) - O Prêmio Turner, um dos mais polêmicos do mundo das artes, abriu na quinta-feira o ano de Liverpool como capital européia da cultura, anunciando uma lista de finalistas composta por artistas de orientação política.

Indo à cidade natal dos Beatles, no norte da Inglaterra, pela primeira vez, para celebrar o ano de destaque que a cidade terá em 2008, os jurados do Turner escolheram quatro artistas intrigantes para disputar o prêmio, que vale 25 mil libras (51.100 dólares).

Os corretores de apostas já escolheram como favorito Mark Wallinger, selecionado para a lista de finalistas por "State of Britain", uma reconstrução meticulosa do acampamento de paz montado diante do Parlamento pelo militante Brian Haw, para protestar contra a guerra no Iraque.

O museu Tate Liverpool está exibindo um filme do artista, vestindo fantasia de urso, vagando por um museu de Berlim durante dez noites consecutivas.

O escultor Nathan Coley é célebre por seu trabalho "Jerusalem Syndrome", que mostra três dos locais mais sagrados do mundo, em Jerusalém. Um dos trabalhos que ele apresentou ao Turner é uma placa iluminada a néon proclamando "Não Haverá Milagres Aqui".

Mike Nelson é famoso por suas instalações labirínticas. Ele está expondo "Amnesiac Shrine", um labirinto de cubos espelhados.

Zarina Bhimji, que completa a lista de finalistas, foi muito influenciada por sua expulsão de Uganda pelo regime de Idi Amin, em 1974.

Os críticos de arte se divertem falando mal do prêmio Turner todos os anos e provocando uma discussão acalorada sobre se isso é realmente arte, ou não. Mas nada disso vem impedindo que 120 mil visitantes por ano venham ver com seus próprios olhos.

(Por Phil Noble)