Críticos em Cannes elogiam filmes sombrios

terça-feira, 20 de maio de 2008 11:30 BRT
 

Por Mike Collett-White

CANNES (Reuters) - Um documentário animado sobre a invasão israelense do Líbano em 1982 e um retrato corajoso da máfia napolitana estão entre os filmes mais bem cotados até agora no festival de cinema de Cannes, que inicia sua segunda metade.

O público está, de modo geral, impressionado com a qualidade dos 11 filmes exibidos até agora dentro da competição oficial, e os críticos também destacaram várias descobertas de valor feitas fora da competição.

"Normalmente, nesta fase do festival já teríamos assistido a mais trabalhos lamentáveis", disse o escritor e crítico de cinema Mark Cousins, que cobre o festival pela 18a vez. "Para mim, é um marco alto de qualidade, embora, é claro, não saibamos o que ainda está por vir."

Entre seus favoritos para a Palma de Ouro, dada ao filme escolhido como o melhor pelo júri do festival, está "Valsa com Bashir", a tentativa do diretor Ari Folman de reunir memórias enterradas do massacre de palestinos em 1982 nos campos de refugiados de Sabra e Shatila, em Beirute.

Folman emprega a animação para recriar entrevistas com soldados israelenses que fizeram o serviço militar com ele naquela época.

O crítico Kirk Honeycutt escreveu no Hollywood Reporter: "A paleta quase monocromática de Folman permite ao espectador absorver o horror das atrocidades, sem, entretanto, qualquer fixação pornográfica no sangue derramado."

O trabalho italiano "Gomorra" foi saudado por sua coragem ao retratar o mundo brutal da máfia Camorra, em Nápoles.

O filme é baseado no livro best-seller sobre o grupo escrito pelo jornalista Roberto Saviano, que vive sob proteção policial há dois anos.   Continuação...