Museu islandês exibe coleção de pênis, dos maiores aos menores

quinta-feira, 15 de maio de 2008 14:02 BRT
 

Por Bob Strong

HUSAVIK, Islândia (Reuters) - Falta a Sigurdur Hjartarson um pênis humano. Mas o islandês não parece preocupado com isso: quatro homens prometeram doar-lhe seus órgãos genitais quando morrerem.

Hjartarson é o fundador e proprietário do Museu Falológico Islandês, que oferece aos visitantes do mundo todo uma visão mais detida a respeito do que há de grande e de pequeno em termos do órgão sexual masculino.

A coleção dele começou a ser formada em 1974, com um único pênis de boi que se parece com um chicote de equitação -- hoje, o islandês reúne 261 órgãos preservados de 90 espécies diferentes.

O maior deles, de uma baleia cachalote, pesa 70 quilos e possui 1,7 metro de comprimento. O menor, o osso peniano de um hamster, com apenas 2 milímetros de comprimento, precisa de uma lente de aumento para ser visto.

Uma ausência que salta aos olhos é a espécie humana. Mas isso deve ser sanado em breve, já que um alemão, um norte-americano, um islandês e um britânico prometeram doar seus órgãos genitais quando morrerem, segundo certificados exibidos pelo museu.

O norte-americano, Stan Underwood, 52, forneceu uma descrição por escrito de seu pênis -- apelidado de "Elmo" -- para ficar exposta ao lado de uma reprodução em tamanho natural, em borracha, do membro, além da promessa de doação.

Segundo Hjartarson, o doador islandês, um morador de 93 anos de idade de Akureyri (cidade próxima de Husavik, onde fica o museu), foi um conquistador na juventude e está convencido de que a exposição de seu pênis lhe trará fama eterna.

Mas a vaidade pode fazer com que repense a oferta. "Ele afirmou recentemente que seu pênis vem encolhendo com a idade e ele está preocupado com a possibilidade de não fazer uma boa figura no museu", afirmou Hjartarson.   Continuação...