May 29, 2008 / 2:34 PM / 9 years ago

Estúdios fecham contrato coletivo de TV com sindicato d atores

4 Min, DE LEITURA

Por Steve Gorman

LOS ANGELES (Reuters) - O Sindicato de Atores de Cinema e Televisão (Screen Actors Guild-SAG) dos EUA e os principais estúdios retornaram à mesa de negociações na quarta-feira.

A retomada ocorreu após um recesso de três semanas nas negociações contratuais e depois de o sindicato menor de atores de Hollywood, AFTRA, ter fechado um acordo com os produtores para um novo contrato trabalhista.

O acordo provisório entre os estúdios e o AFTRA (Federação Americana de Artistas de Rádio e Televisão) alimentou esperanças de que a paz trabalhista possa prevalecer na capital mundial do entretenimento, após uma greve dos roteiristas que durou 100 dias e terminou em fevereiro.

O AFTRA chegou a acordos com os estúdios sobre dois pontos vistos pelos dois sindicatos de atores como cruciais: conseguiu que o contrato coletivo cubra programas originais feitos para a Internet e assinalou o consentimento dos atores para a exibição online de clipes de TV em que eles aparecem.

Mas não ficou claro se o acordo do AFTRA poderá servir de base para um acordo com o SAG, maior e mais militante, ou se, pelo o contrário, o SAG vai considerar que sua posição de barganha foi enfraquecida pelo sindicato irmão.

Os dois sindicatos negociaram seus principais contratos com a TV juntos por quase 30 anos. Mas este ano, depois de seus desentendimentos de longa data com o SAG terem se acirrado, o AFTRA resolveu negociar sozinho.

O acordo fechado pelo AFTRA, que cobre o emprego de atores em cerca de uma dúzia de programas do horário nobre da TV americana, ainda precisará ser aprovado pelo conselho de direção do sindicato e ratificado por seus 70 mil filiados. Mas é quase certo que isso aconteça.

As atenções se voltam agora às negociações dos estúdios com o SAG, que representa 120 mil atores e cujo contrato cobre a parte maior do horário nobre da televisão e a indústria cinematográfica como um todo. Cerca de 40 mil filiados ao SAG também são filiados ao AFTRA.

Os contratos coletivos dos dois sindicatos de atores chegam ao fim em 30 de junho, e Hollywood continua receosa, após a greve de 14 semanas dos roteiristas que paralisou boa parte da produção televisiva, atrapalhou a produção de vários filmes e deixou parados milhares de trabalhadores na produção.

O SAG, que teve papel crucial no apoio à greve dos roteiristas, ainda não pediu a autorização de seus filiados para convocar uma greve de atores. Mas a indústria cinematográfica já entrou em "modo de funcionamento greve".

Os estúdios estão começando a estocar episódios de TV e não se mostram dispostos a iniciar a produção de filmes que possam ser afetados por uma possível greve de atores.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below