Doente, George Clooney interrompe visita a Darfur

terça-feira, 22 de janeiro de 2008 11:59 BRST
 

CARTUM, Sudão (Reuters) - O ator George Clooney interrompeu sua primeira viagem como "mensageiro da paz" da Organização das Nações Unidas (ONU) e regressou de Darfur (Sudão) para casa, após ter ficado doente, disseram na terça-feira fontes da entidade mundial.

Clooney viu-se obrigado a cancelar também uma visita ao vizinho Chade, país atingido pela onda de violência vinda do território sudanês.

"Ele ficou doente e voltou para Cartum", afirmou um integrante da missão da ONU. Porta-vozes da entidade não quiseram se manifestar sobre o caso.

As contundentes opiniões do ator sobre o conflito em Darfur, que ele descreveu como um genocídio, fizeram com que a ONU não alardeasse a visita dele. Os pedidos de entrevista foram recusados e os meios de comunicação não tiveram autorização para filmá-lo.

Clooney começou a sentir febre e dores de estômago, voltou para Cartum e cancelou a segunda parte da sua viagem, ao Chade, disseram as fontes. O ator voou para fora do Sudão na terça-feira de manhã.

Clooney e seu pai visitaram o Chade em 2006. O país abriga atualmente 240 mil refugiados vindos de Darfur.

Os conflitos na região sudanesa começaram em 2003, quando rebeldes em sua maioria não árabes tomaram em armas contra o governo do país, que acusam de negligenciá-los.

A fim de sufocar a revolta, as autoridades sudanesas mobilizaram milícias majoritariamente árabes conhecidas como Janjaweed, acusadas agora de cometer atrocidades.

Em 2004, o governo norte-americano descreveu o conflito como um genocídio, um termo que os países europeus mostram-se relutantes em acatar e que as autoridades sudanesas rejeitam.

(Reportagem de Opheera McDoom)

 
<p>Doente, George Clooney interrompe visita a Darfur. O ator George Clooney interrompeu sua primeira viagem como 'mensageiro da paz' da Organiza&ccedil;&atilde;o das Na&ccedil;&otilde;es Unidas (ONU) e regressou de Darfur (Sud&atilde;o) para casa, ap&oacute;s ter ficado doente. Foto do Arquivo. Photo by Vincent Kessler</p>