Filme sobre morte de civis no Iraque mostra 2 lados da história

quarta-feira, 7 de maio de 2008 13:25 BRT
 

Por Claudia Parsons

NOVA YORK (Reuters) - O filme "Battle for Haditha" (a batalha por Haditha) retrata um dos episódios mais dramáticos da guerra no Iraque -- o assassinato de 24 civis iraquianos por fuzileiros dos EUA, mas o ex-fuzileiro Elliot Ruiz, um dos membros do elenco, afirma que a produção não mancha o nome da corporação.

"Não vamos perseguir aqueles fuzileiros. Esse filme não culpa aqueles fuzileiros pelo que aconteceu. Não se trata, em verdade, de colocar a culpa em alguém", afirmou Ruiz à Reuters, em uma entrevista concedida antes do lançamento do filme, na quarta-feira, em Nova York.

"Trata-se de apresentar a situação e de permitir que a platéia decida sobre quem é o responsável."

O filme baseia-se nos fatos reais ocorridos em novembro de 2005, em Haditha, cidade localizada a oeste de Bagdá.

Um comboio de marines norte-americanos viu-se atingido por uma bomba plantada ao lado de uma estrada. O artefato matou um oficial popular entre os soldados e, pouco depois, 24 civis iraquianos foram assassinados a tiros.

Oito fuzileiros foram indiciados pelo caso, mas cinco deles acabaram se livrando dos indiciamentos. Três, entre os quais o suposto líder da ação, sargento Frank Wuterich, ainda estão sendo julgados por uma corte marcial.

Segundo testemunhas iraquianas, os fuzileiros, enfurecidos, massacraram os civis desarmados após o cabo Miguel "TJ" Terrazas ter sido morto pela bomba. Os advogados de defesa afirmam que os civis morreram durante uma violenta batalha ocorrida dentro e nos arredores de Haditha.

Ruiz disse ter conversado com seus companheiros antes de aceitar o convite para atuar no filme. "Eu não queria participar de nada que prejudicasse a imagem do Corpo de Fuzileiros", afirmou.   Continuação...