Senador Ted Kennedy escreverá autobiografia

quarta-feira, 28 de novembro de 2007 11:33 BRST
 

NOVA YORK (Reuters) - O senador Ted Kennedy, membro de uma das famílias mais influentes do mundo da política norte-americana e cujos planos de concorrer à Presidência dos EUA naufragaram em meio a um escândalo, assinou um acordo para escrever sua autobiografia.

O livro deverá ser publicado pela Twelve, um selo da Grand Central Publishing (uma empresa da Hachette Book Group USA), afirmou a editora em um comunicado divulgado na terça-feira.

Apesar de o montante a ser pago pela obra não ter sido divulgado, o jornal Boston Globe atribuiu a uma fonte a informação de que Kennedy, 75, receberia mais do que os 8 milhões de dólares dados à senadora Hillary Clinton pelo livro de memórias dela.

Outros meios de comunicação disseram que o livro havia sido objeto de uma intensa disputa entre editoras rivais.

"Tive sorte de crescer em uma família extraordinária e de ter ocupado um lugar privilegiado durante alguns dos principais acontecimentos da história de nossa nação", afirmou em um comunicado Kennedy, senador do Partido Democrata pelo Estado de Massachusetts há 45 anos.

"Espero que minhas reflexões contribuam para aprofundar a compreensão de muitos acontecimentos da história deste grande país e para que se trace um quadro mais aprofundado de uma família norte-americana", disse.

Kennedy é o irmão mais novo do presidente John F. Kennedy, assassinado em 1963, e do senador Robert F. Kennedy, morto em 1968 quando fazia campanha para a Presidência.

Ted Kennedy era apontado como potencial presidenciável até 1969, quando o carro que dirigia caiu de uma ponte. Mary Jo Kopechne, que o acompanhava, morreu no acidente, que se transformou em um escândalo nacional.

No Senado, ele é conhecido por suas opiniões liberais e por sua habilidade como orador.

O livro está previsto para ser publicado na segunda metade de 2010.

(Por Ellen Wulfhorst)