Foto revela rosto do "verdadeiro amor" de Anne Frank

terça-feira, 26 de fevereiro de 2008 12:23 BRT
 

Por Alexandra Hudson

AMSTERDÃ (Reuters) - A foto de um menino com "olhos castanhos lindos" que Anne Frank chamava de meu "verdadeiro amor" no diário escrito enquanto se escondia na Holanda ocupada pelos nazistas começará a ser exibida em Amsterdã.

A imagem de Peter Schiff foi doada para o museu Anne Frank por seu ex-colega de escola Ernst Michaelis, que percebeu, após reler recentemente o diário da menina judia, que não havia fotos conhecidas de Schiff, contou uma porta-voz do museu na terça-feira.

A família de Frank fugiu da Alemanha nazista em 1933 e abrigou-se em Amsterdã. Durante a Segunda Guerra Mundial, os nazistas ocuparam a Holanda e, em 1942, começaram a deportar os judeus para os campos de concentração, fazendo com que a menina e sua família se escondessem.

Durante mais de dois anos, os Frank moraram em um anexo secreto de uma casa localizada à beira de um canal antes de seu esconderijo ser revelado e a família enviada para os campos de concentração.

Anne registrou em seus diários os anos que passou morando naquele local. Uma holandesa que ajudou a família encontrou-os escondidos no anexo depois da prisão de Anne e entregou-os para o pai dela, Otto Frank, que sobreviveu ao Holocausto.

Os textos ganharam fama mundial.

Ela escreve em uma passagem do diário: "Eu me esqueci de que ainda não lhes contei a história do meu verdadeiro amor."

"Peter era o menino ideal: alto, magro, bonito, com um rosto sério, sereno e inteligente", escreveu Anne a respeito do garoto de 13 anos de idade pelo qual se apaixonou em 1940, quando tinha apenas 11 anos.   Continuação...

 
<p>Fotografia de Peter Schiff, jovem mencionado por Anne Frank em seu di&aacute;rio, &eacute; visto em cart&atilde;o enviado por ele aos seu colega de escola, Ernst Michaelis, em imagem de divulga&ccedil;&atilde;o. A foto de Peter, que Anne Frank chamava de meu 'verdadeiro amor', come&ccedil;ar&aacute; a ser exibida em Amsterd&atilde;. Photo by Reuters (Handout)</p>