ENTREVISTA-Redford nega que "Leões e Cordeiros" seja "liberal"

sexta-feira, 9 de novembro de 2007 16:24 BRST
 

Por Bob Tourtellotte

LOS ANGELES (Reuters) - Em mais de 40 anos de carreira, o ator Robert Redford já foi muitas coisas: protagonista, diretor premiado com o Oscar (por "Gente Como a Gente") e fundador do Festival de Cinema Sundance.

Aos 71 anos, ele retorna aos cinemas nesta sexta-feira como ator e diretor de "Leões e Cordeiros", que utiliza o conflito atual no Afeganistão como pano de fundo para analisar a ausência de envolvimento cívico dos cidadãos americanos.

O filme também fala do tratamento dado pela mídia às matérias sobre a guerra e as motivações dos políticos norte-americanos.

Tom Cruise faz um senador em favor da guerra, Meryl Streep, uma jornalista, e Redford, um professor universitário que procura ajudar um estudante desiludido. O filme já foi rotulado como liberal por comentaristas conservadores, algo que Redford contesta.

Ele tirou alguns minutos com a Reuters para responder a perguntas sobre "Leões e Cordeiros".

PERGUNTA: Sua carreira é longa, mas você só dirigiu sete filmes. Que temas um roteiro precisa tratar para fazer você sentir vontade de dirigir, em lugar de ser apenas ator ou produtor?

RESPOSTA: Meu interesse é nos EUA e sua vida interna. Falei da vida familiar em "Gente Como a Gente", em entretenimento com "Quiz Show -- A Verdade dos Bastidores", em esportes com "Um Homem Fora de Série" e "Os Amantes do Perigo" e em política com "O Candidato" e "Leões e Cordeiros". O que permeia tudo isso é a vida americana e seus diferentes aspectos, criticamente e positivamente.

P: Antes mesmo de chegar aos cinemas, "Leões e Cordeiros" já foi rotulado de filme "liberal".   Continuação...

 
<p>Redford nega que 'Le&otilde;es e Cordeiros' seja 'liberal'. Em mais de 40 anos de carreira, o ator Robert Redford j&aacute; foi muitas coisas: protagonista, diretor premiado com o Oscar (por 'Gente Como a Gente') e fundador do Festival de Cinema Sundance. 1 de novembro. Photo by Fred Prouser</p>