Tom Hanks pede fim da greve em tempo de salvar a festa do Oscar

quinta-feira, 10 de janeiro de 2008 17:53 BRST
 

Por Michael Davidson

LONDRES (Reuters) - O ator Tom Hanks quer que a cerimônia do Oscar aconteça como todos os anos e estimulou os estúdios a retornarem à mesa de negociações para pôr fim à greve dos roteiristas, que ameaça atrapalhar o momento culminante da temporada de premiações em Hollywood.

A cerimônia do Globo de Ouro, que tinha sido prevista para domingo, já foi cancelada e será substituída por uma coletiva de imprensa que provavelmente terá a presença de poucas estrelas. O People's Choice Awards também foi simplificado, e o evento acabou sendo fracasso de audiência na TV.

Agora todas as atenções estão voltadas aos Academy Awards, a noite mais importante do mundo do cinema, previsto para em 24 de fevereiro.

"O show precisa continuar. Esse é um dos princípios de tudo", disse Hanks à Reuters em Londres.

"Faço parte do conselho de diretores da Academia, e queremos com toda certeza promover um show grandioso e homenagear os filmes lançados ao longo do ano", disse ele no tapete vermelho da estréia de seu filme "Jogos de Poder".

Hanks afirmou que os grandes estúdios deveriam recordar que muitas pessoas estão sofrendo devido à greve promovida pelos 10.500 filiados ao WGA (o Sindicato de Roteiristas) em decorrência da disputa com os estúdios de cinema e televisão.

"Há fornecedores, marceneiros, eletricistas...", lembrou o ator de 51 anos. "Existem muitas pessoas lá fora ligadas à indústria (cinematográfica), para as quais, quanto antes esta greve terminar, melhor."

"Espero que os chefões que tomam as grandes decisões em suas salas comecem a negociar diretamente e que todo o mundo possa voltar ao trabalho."   Continuação...