Coney Island, em Nova York, passa por renovação

segunda-feira, 12 de maio de 2014 12:26 BRT
 

NOVA YORK, 12 Mai (Reuters) - A mudança chegou novamente a Coney Island, o resort à beira-mar da cidade de Nova York, famoso desde meados do século 19 por sua atmosfera carnavalesca, praias e parques de diversões.

Depois de décadas de decadência, o bairro no Brooklyn foi enfeitado com novos passeios, restaurantes e os parques temáticos remodelados, mas preservando os nomes Dreamland e Luna Park, mantendo sua rica história.

Por muito tempo um refúgio de verão no Oceano Atlântico para famílias de classe baixa, Coney Island agora também atrai turistas estrangeiros e os ricos que se mudaram em massa para o Brooklyn na última década.

"Desde o início, Coney Island sempre foi um lugar anárquico", disse Amy Nicholson, diretora do documentário "Zipper: Coney Island's Last Wild Ride", sobre as mudanças nos últimos anos, especialmente quando Michael Bloomberg era prefeito de Nova York.

"Foi sempre um lugar para os mais marginalizados. Foi sempre um lugar para pessoas de renda mais baixa, ou de poucos meios, para ir e relaxar", disse Nicholson.

Com seus marcos históricos, incluindo a Wonder Wheel, de 46 metros de altura, a montanha russa Cyclone, de madeira, o famoso cachorro quente de Nathan e um calçadão salpicado com lojas cafonas, a região teve muitas pequenas empresas e parques temáticos familiares empurrados para fora nos últimos cinco anos.

Coney Island, uma península de 6,4 quilômetros de extensão, no sudoeste do Brooklyn, é um dos bairros mais visualmente distintos de Nova Iorque. A controvérsia tem muitas vezes marcado o desenvolvimento e as mudanças feitas por vários proprietários de imóveis em Coney Island desde a década de 1840, quando as primeiras estruturas foram construídas.

Agora, as autoridades da cidade querem transformar Coney Island da mesma maneira que fizeram com a Times Square, em Manhattan, reformada na década de 1990, quando setores de prostituição tiveram de desocupar o local para dar lugar a restaurantes turísticos e teatros.

A iniciativa para a renovação foi acelerada com a tempestade Sandy em outubro de 2012, que afetou a região, alagando casas e empresas.

(Reportagem de Victoria Cavaliere)