Cameron critica sonegação de impostos de astro do Take That

segunda-feira, 12 de maio de 2014 16:34 BRT
 

LONDRES, 12 Mai (Reuters) - O primeiro-ministro britânico, David Cameron, criticou nesta segunda-feira um esquema de sonegação de impostos usado por um dos maiores astros da Grã-Bretanha, o cantor Gary Barlow, do grupo pop Take That, mas rejeitou os pedidos para privar o artista de uma honraria.

Barlow, dois outros membros do Take That e o seu empresário, Jonathan Wild, podem ter que pagar mais de 9 milhões de libras ao Estado depois que um juiz descobriu que um esquema de investimento que eles utilizaram tinha como principal meta evitar o pagamento de impostos.

A evasão fiscal de outras celebridades e de empresas como Starbucks e Amazon enfureceu o público britânico, e os políticos foram rápidos na condenação a Barlow. Dois membros do Parlamento sugeriram que ele deveria devolver a “Ordem do Império Britânico”, uma medalha que recebeu por suas atividades de caridade.

Cameron disse ao canal ITV: “Sou contra esses esquemas agressivos de sonegação de impostos... está claro que este esquema estava errado”. Mas ele também disse não concordar que Barlow, que apoiou publicamente o Partido Conservador do premiê na eleição geral de 2010, seja forçado a devolver a medalha.

O parlamentar conservador Charlie Elphicke e a sua colega Margaret Hodge, do opositor Partido Trabalhista, disseram ao jornal Times ser questionável se Barlow deve manter a honraria.

Um porta-voz dos membros da banda se recusou a comentar. Wild, que investiu no mesmo esquema, não respondeu a pedidos de comentário. Anteriormente, representantes dos quatro disseram que eles pagaram “impostos consideráveis”.

(Por Tom Bergin)