Apresentador da TV britânica pode ter abusado de 500 crianças, diz entidade

segunda-feira, 2 de junho de 2014 11:08 BRT
 

Por Belinda Goldsmith

LONDRES (Reuters) - O falecido apresentador de televisão britânico Jimmy Savile pode ter feito um número muito maior de vítimas de abuso sexual do que se suspeitava anteriormente, disse uma organização nesta segunda-feira. Ele teria abusado até de crianças de apenas dois anos de idade e de vítimas de um hospital psiquiátrico de alta segurança.

Savile, uma das maiores celebridades da BBC na década de 1970 e 1980, foi desmascarado após sua morte, em 2011, aos 84 anos, ao ser apontado como um dos piores criminosos sexuais da Grã-Bretanha.

A revelação chocou a Grã-Bretanha e mergulhou a BBC em uma crise. Um relatório de 2012 inocentou chefes da BBC das suspeitas de encobrir denúncias contra Savile, mas um informe da corregedoria da polícia, no ano passado, expressou preocupações sobre os erros da polícia.

O caso Savile levou a uma investigação mais ampla sobre crimes sexuais cometidos por figuras mais velhas do setor de entretenimento, com 17 prisões efetuadas incluindo o australiano Rolf Harris, em julgamento por 12 acusações de abuso sexual.

Uma pesquisa realizada pela Sociedade Nacional para a Proteção das Crianças contra a Crueldade (NSPCC, na sigla em inglês) revelou nesta segunda-feira haver pelo menos 500 denúncias de abusos cometidos por Savile, em comparação com uma suspeita de 140 casos, sendo a maioria das vítimas com idades entre 13 e 15 anos, mas mais nova, com apenas dois anos de idade.

Peter Watt, diretor da NSPCC, disse não haver dúvida de que Savile foi um dos maiores, se não o maior, criminoso sexual já descoberto pela entidade.

"Ele era manipulador, arrogante, e controlador... Savile escapou da Justiça porque as pessoas não queriam ouvir ou acreditar no que as crianças diziam", disse Watt, em um comunicado.

Watt disse ser incrível que depois de 60 anos as pessoas ainda esteja denunciando Savile, um personagem excêntrico, famoso por seus charutos, roupas extravagantes e jóias chamativas.

(Reportagem de Belinda Goldsmith)