China promete US$163 mi por ano para apoiar indústria de cinema

quinta-feira, 19 de junho de 2014 12:15 BRT
 

PEQUIM (Reuters) - O governo chinês vai gastar 1 bilhão de iuanes (163 milhões de dólares) por ano para apoiar a indústria nacional de cinema, incluindo gastos com produções de filmes e a construção de cinemas digitais, informou a imprensa estatal nesta quinta-feira. 

O dinheiro servirá para produzir de cinco a dez filmes por ano, e para construir cinemas principalmente nas regiões mais pobres do oeste e do centro do país, afirmou a agência oficial de notícias do governo chinês Xinhua.

"O fundo de desenvolvimento da cultura vai promover especificamente a tecnologia de produção cinematográfica, ajudar a exportar filmes chineses, investir em produções comerciais e produzir websites para filmes", informou a agência.

A Xinhua não disse por quantos anos o governo vai oferecer o financiamento.

Bancos serão incentivados a emprestar dinheiro para o setor, produtoras serão encorajadas a emitir ações e títulos para o mercado financeiro e companhias seguradoras serão estimuladas a comprar participações em empresas do setor cinematográfico, acrescentou a agência.

As bilheterias chinesas são tradicionalmente dominadas por filmes de Hollywood, mas os filmes chineses ultrapassaram os rivais norte-americanos em 2013, abocanhando mais de 58 por cento das bilheterias, de acordo com a imprensa estatal, o que fez o governo acreditar nos investimentos para impulsionar o talento nacional.

Estúdios dos Estados Unidos já começaram a tomar medidas para atrair o interesse das crescentes bilheterias chinesas, que bateram a casa dos 21,8 bilhões de iuanes no ano passado.

Companhias produtoras como a Paramount Picture, da Viacom, e a DreamWorks Animation SKG já contrataram atores chineses e estabeleceram co-produções com companhias chinesas para fazer incursões no mercado da China.

Mas os draconianos reguladores do cinema chinês tem um pulso firme sobre o mercado, controlando a entrada de filmes estrangeiros para proteger a participação dos filmes domésticos nos cinemas do país.

(Reportagem de Ben Blanchard)