ESTREIA-“Muppets 2: Procurados e Amados” traz vilão idêntico ao sapo Kermit

quarta-feira, 25 de junho de 2014 16:54 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - “Todo mundo sabe que as continuações nunca são tão boas”, canta um coro animado de marionetes no musical de abertura de “Muppets 2 – Procurados e Amados”. E, ao longo do pouco mais de 90 minutos, vão provar que essa máxima é verdadeira. Ainda assim, o risco não os impede de fazer uma sequência, que, desta vez, envolve um sapo ladrão russo, idêntico ao sapo Kermit – num passado não tão remoto, conhecido como Caco.

Depois do sucesso do primeiro filme, os Muppets (criados nos anos de 1970 por Jim Henson) tornaram-se famosos novamente, e agora estão numa excursão pela Europa, para onde viajam de trem. Com a ajuda de seu novo empresário, Dominic (Ricky Gervais), percorrem todo o continente, sempre encontrando os shows lotados.

O que o grupo não sabe, no entanto, é que o sujeito está armando um plano para colocar Constantine – o criminoso número 1 do mundo – um sapo idêntico a Kermit, exceto por uma pinta na bochecha, no lugar dele. Ele consegue fugir de uma prisão, e com ajuda do comparsa e de um pouco de maquiagem, toma o lugar do herói, que acaba preso e é mandado para o Gulag.

O verdadeiro Kermit na prisão, no meio da neve, na verdade, é bem mais interessante que os demais Muppets viajando pela Europa, onde Constantine e Dominic cometem um roubo a cada parada.

Enquanto isso, o verdadeiro sapo está encarcerado, e com os outros colegas (que inclui o comediante Jemaine Clement, e os atores Ray Liotta e Danny Trejo) monta um espetáculo à la Broadway, e também conquista o coração da diretora do presídio, vivida pela comediante Tina Fey, mais conhecida por seu trabalho no Saturday Night Live.

James Bobin, que também dirigiu o filme anterior, de 2011, e repete a parceria com o roteirista Nichollas Stroller, parece estar no piloto automático, dando pouca ênfase à narrativa e se empenhando pouco nos momentos genuinamente engraçados – contando apenas com a graça natural das marionetes e de Tina Fey.

Ainda assim, há excelentes momentos, especialmente alguns envolvendo participações especiais de celebridades como Lady Gaga e Céline Dion, e atores como Salma Hayek, Tom Hiddleston e Chloe Grace Moretz. Poucos, no entanto, que tentem chegar perto da genialidade do filme anterior.

(Por Alysson Oliveira, do Cineweb)

* As opiniões expressas são responsabilidade do Cineweb