Dinossauro gigantesco descoberto na Argentina surpreende cientistas

quinta-feira, 4 de setembro de 2014 11:50 BRT
 

Por Will Dunham

WASHINGTON (Reuters) - A palavra grande não faz justiça ao dinossauro robusto e de pescoço longo que sacudiu a terra na Argentina cerca de 77 milhões de anos atrás.

Colossal, enorme e estupendo podem chegar perto de uma descrição apropriada deste portento, conhecido entre os cientistas como Dreadnoughtus schrani.

Os pesquisadores anunciaram nesta quinta-feira a descoberta do fóssil incrivelmente completo e bem preservado do dinossauro, que pesava 59.300 quilos e media 26 metros, com um pescoço de 11,3 metros e uma cauda de 8,7 metros, no sul da Patagônia.

O paleontólogo Kenneth Lacovara, da Universidade Drexel, no Estado norte-americano de Filadélfia, que localizou o dinossauro e liderou sua escavação e análise, afirmou que os cientistas calcularam seu peso com base nos ossos da parte superior de seu braço e sua coxa.

O dino argentino pesava mais que uma baleia cachalote adulta ou uma manada de elefantes africanos, e era sete vezes mais pesado que o Tiranossauro Rex, fazendo o assustador parente norte-americano, que também viveu no Período Cretáceo, parecer um nanico.

O Dreadnoughtus tinha “o peso calculável mais confiável” de qualquer animal terrestre conhecido, afirmou Lacovara.

Outro dinossauro argentino, o Argentinosaurus, pode ter sido maior, diz ele, mas seus restos escassos não permitem uma estimativa confiável de seu peso. Em maio outro grupo de cientistas citou o Argentinosaurus como o maior deles, calculando seu peso em 82.107 quilos.

Embora estritamente vegetariano, o Dreadnoughtus não era nada delicado. Com um tamanho e uma causa que poderiam ter massacrado qualquer predador tolo o suficiente para atacá-lo, ele provavelmente não tinha nada a temer, nem mesmo dos mais avantajados dinossauros carnívoros. Seu nome reflete isso.

"Escolhemos Dreadnoughtus – que significa ‘destemido’ – porque quando se tem o tamanho dele, provavelmente não se teme muita coisa”, declarou um dos pesquisadores, Matt Lamanna, do Museu Carnegie de História Natural, em Pittsburgh.

A maioria dos titanossauros só são conhecidos por restos fragmentários, mas os cientistas encontraram 45 por cento do Dreadnoughtus, o que Lamanna descreveu como "um baú do tesouro em termos de informações sobre um dos mais bem sucedidos, e menos entendidos, grupos de dinossauros”.