“Pawn Sacrifice” capta o drama no confronto de xadrez Fischer x Spassky

sexta-feira, 12 de setembro de 2014 08:59 BRT
 

Por Mary Milliken

TORONTO (Reuters) - Pode ter havido algo mais estressante do que ser um adversário do campeão mundial de xadrez Bobby Fischer, e isso foi ter de enfrentar um homem de temperamento volátil.

"Pawn Sacrifice", filme que estreou no Festival Internacional de Cinema de Toronto na quinta-feira, narra não só a ascensão do jovem grande mestre norte-americano, mas como foi difícil para ele chegar ao topo, no famoso "Jogo do Século", em 1972, contra o rival soviético Boris Spassky.

Fischer, interpretado por Tobey Maguire, é rude, impróprio, antissemita, imprevisível e brilhante, e como o diretor Edward Zwick disse, "provavelmente paranoico e delirante." Ele também é um herói cultural mal preparado para lidar com a sua celebridade.

Spassky é, por outro lado, um cara legal que goza dos privilégios como ícone do Estado soviético. Ele é interpretado por Liev Schreiber, que fala russo em grande parte do filme, no que o ator disse que foi "uma das coisas mais assustadoras que eu já fiz".

Spassky, o campeão do mundo, e Fischer, o desafiante, se encontram em uma batalha da Guerra Fria, quando eles concordam com o "Jogo do Século", disputado na Islândia. Nos noticiários, seu confronto se sobressaiu à Guerra do Vietnã e à invasão da sede do Comitê Nacional Democrata, no que se tornaria o escândalo de Watergate.

"Eu não acho que para qualquer um deles se tratasse do programa norte-americano ou russo", disse Schreiber. "Eu acho que era sobre ser n º 1".

“APRECIE O REQUINTE”   Continuação...

 
Ator Tobey Maguire chega à premire de "Pawn Sacrifice" no Festival de Toronto. 11/09/2014 REUTERS/Fred Thornhill