"Fidelio" de Barenboim conquista o público em despedida do La Scala

segunda-feira, 8 de dezembro de 2014 18:20 BRST
 

MILÃO (Reuters) - Daniel Barenboim comemorou a estreia de sua última temporada como diretor musical do teatro La Scala, no domingo, com uma apresentação de “Fidelio”, única ópera de Ludwig van Beethoven, e foi ovacionado durante 13 minutos, na noite de estreia de uma nova produção com figurinos modernos.

A plateia atirou flores no palco da famosa casa de ópera de Milão no final da peça de dois atos, que também marca o primeiro início de temporada do novo diretor artístico, Alexander Pereira, no lugar de Stephane Lissner.

A obra conta a história de Leonore, interpretada pela soprano alemã Anja Kampe, que se disfarça de carcereiro para resgatar seu marido, injustamente aprisionado.

Barenboim, que deixa o La Scala no final deste ano, disse que “Fidelio” exalta o amor “de uma mulher que faria tudo para libertar o marido”, embora a diretora britânica da ópera, Deborah Warner, afirme que os paralelos entre Fidelio e os acontecimentos atuais na Ucrânia e na Síria não podem sem ignorados.

“É político porque mostra que uma pessoa pode fazer uma grande diferença”, disse. “E é uma mulher, não um homem, lutando até obter a justiça e a verdade, o que é empolgante”.

Várias centenas de manifestantes hostilizaram os espectadores ricos na noite de estreia, cujos ingressos chegam a custar dois mil euros, entrando em confronto com a polícia e atirando fogos de artifício e ovos.

A recessão italiana prejudicou as finanças da casa de ópera mais famosa do país, cujos administradores fizeram vários apelos para patrocinadores antes da abertura.

(Por Agnieszka Flak e Sara Rossi)

 
Polícia em frente à casa de ópera La Scala, onde houve protestos, em Milão. 07/12/2014 REUTERS/Alessandro Garofalo