Espólio de Joan Fontaine cancela leilão de Oscar por ameaça de processo da Academia

sexta-feira, 12 de dezembro de 2014 20:11 BRST
 

Por Chris Michaud

NOVA YORK (Reuters) - O espólio da atriz Joan Fontaine, que morreu há um ano aos 96 anos, retirou o Oscar ganho pela atriz de um leilão bastante aguardado depois que a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood ameaçou entrar com um processo contra a venda, disseram representantes do espólio na quinta-feira.

A casa de leilões Christie's havia dito esperar que a estatueta obtivesse entre 200 e 300 mil dólares, que seriam encaminhados para a SPCA, um grupo de proteção animal de Monterey, na Califórnia, de acordo com o desejo da atriz.

Estatuetas do Oscar raramente vão a leilão porque, desde 1950, a Academia exige que seus ganhadores, seus herdeiros ou espólios não vendam o prêmio sem primeiro oferecê-lo à própria Academia pelo valor de um dólar.

Joan foi premiada em 1941 como melhor atriz por seu papel no suspense “Suspeita”, de Alfred Hitchcock, ao lado de Cary Grant. Nenhuma outra atriz ou ator recebeu um Oscar por um filme de Hitchcock, e na época ela foi a mulher mais jovem a receber o prêmio de melhor atriz.

“A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas não se comoveu com os pedidos de todos os envolvidos, e anunciou que irá entrar com uma ação legal se a venda for adiante”, informaram os representantes do espólio em um comunicado, enfatizando que o Oscar de Joan foi concedido bem antes do agora obrigatório acordo a respeito de qualquer venda.

“A Academia, seus membros e os muitos artistas e artesãos que ganharam os prêmios acreditam firmemente que os Oscars devem ser conquistados, não adquiridos”, afirmou a entidade em um comunicado.

 
Estatueta do Oscar. 16/01/2014 REUTERS/Phil McCarten