Pesquisadores identificam dono e esconderijo de “Mona Lisa anterior” na Inglaterra

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014 17:20 BRST
 

Por Robert Evans

GENEBRA, Suíça (Reuters) - Os pesquisadores que investigam a origem de uma pintura apelidada de “Mona Lisa anterior” relataram nesta segunda-feira que identificaram um nobre inglês que provavelmente a comprou na Itália no final do século 18 e a casa de campo onde ela foi encontrada em 1911.

As revelações chegam no momento em que a obra é exposta pela primeira vez em Cingapura em uma mostra sobre o retrato e Leonardo da Vinci, que uma fundação suíça de posse do quadro afirma que o artista pintou antes da versão em exposição no museu do Louvre, em Paris.

“Acreditamos que as últimas descobertas e novas análises científicas recém-realizadas deixam pouca dúvida de que é um trabalho de Leonardo”, disse David Feldman, leiloeiro sediado em Genebra e vice-presidente da “Fundação Mona Lisa” de Zurique.

“Atualmente a imensa maioria dos especialistas ou concorda conosco ou aceita que existe grande fundamento na nossa tese”, afirmou.

A pintura mostra uma imagem mais jovem de Lisa del Giacondo, esposa de um mercador de Florença que serviu de modelo para a obra-prima presente no Louvre e que foi incorporada à coleção da família real francesa depois que

Leonardo morreu na França em 1519.

A versão mais “nova”, cuja existência é mencionada em vários relatos do início do século 16, veio à luz nos tempos modernos quando o marchand e colecionador britânico Hugh Blaker a descobriu em 1911 em uma casa de campo no sudoeste inglês.

Blaker, que teve a pintura durante muitos anos e fez várias tentativas fracassadas de autenticá-la, jamais identificou a casa nem os moradores de então, embora seus diários sobre os anos em questão tenham desaparecido.   Continuação...

 
Obra conhecida como "Mona Lisa anterior" é preparada para exposição em Cingapura. 12/12/2014 REUTERS/Edgar Su