Puma nomeia cantora Rihanna diretora criativa de produtos femininos

terça-feira, 16 de dezembro de 2014 17:14 BRST
 

Por Emma Thomasson

BERLIM (Reuters) - A alemã Puma nomeou a estrela pop Rihanna diretora criativa da área feminina nesta terça-feira, o último movimento de uma empresa esportiva para explorar o mercado em expansão de artigos para mulheres.

A Puma afirmou em um comunicado que o acordo de vários anos que começará em janeiro prevê que Rihanna se torne o rosto da categoria de treinamento de mulheres, juntando-se a celebridades como o velocista campeão olímpico Usain Bolt como embaixador da marca.

A Puma tem investido pesadamente em marketing, incluindo um acordo com o time de futebol inglês Arsenal e uma grande unidade de publicidade, a fim de recuperar o terreno perdido nos últimos anos para líder de mercado Nike e a rival alemã Adidas.

O chefe-executivo da Puma, Bjorn Gulden, disse que encontrar um nome forte para a área de treinamento de mulheres foi importante para complementar a força da marca no futebol, na corrida e no automobilismo.

"Rihanna foi uma escolha natural para nós", disse Gulden. "Seu perfil global, seu carisma e individualidade, a sua ambição, todas essas coisas que fazem dela uma embaixadora perfeita para a nossa marca."

A Puma afirmou que Rihanna influenciará diretamente coleções de produtos a partir do ano que vem e estará envolvida em eventos de consumo e varejo e em conteúdo de mídia social.

A empresa não deu detalhes financeiros sobre o acordo.

A Nike convidou 27 dos melhores atletas do mundo para um evento chamativo em Nova York em outubro para apresentar suas novas coleções femininas, enquanto Under Armour assinou um contrato em setembro com a supermodelo brasileira Gisele Bundchen.

Cerca de 30 por cento das vendas da Adidas, que oferece produtos de inspiração mais fashion do que a Nike devido às suas marcas Originals e NEO, já são de produtos femininos, com as colaborações de celebridades como Rita Ora, Stella McCartney e Selena Gomez.

 
Cantora Rihanna durante evento em Beverly Hills. 11/12/2014.   REUTERS/Mario Anzuoni