Tumba antiga na Grécia contém ossos de mulher, bebê e homens

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015 13:01 BRST
 

ATENAS (Reuters) - Uma grande tumba antiga que acreditava-se poder abrigar os restos mortais de Alexandre o Grande contém ossos de uma mulher, um bebê recém-nascido e dois homens, além dos fragmentos de uma pessoa cremada, informou o Ministério da Cultura grego nesta segunda-feira.

As especulações de que a sepultura esculpida no calcário, no local da tumba Amphipolis, poderia pertencer ao lendário Alexandre, a um de seus generais ou a seus familiares chegaram ao auge nos últimos meses à medida que arqueólogos continuavam a fazer descobertas no local.

O sítio arqueológico de Amphipolis, que acredita-se ser a maior tumba antiga já descoberta na Grécia, data da era de Alexandre, cerca de 300 a 325 a.C.

O conquistador da antiguidade morreu na Babilônia --onde hoje fica o Iraque-- em 323 a.C. depois de uma campanha militar que atravessou o Oriente Médio até o atual Paquistão. O local de sepultamento do líder permanece desconhecido, mas historiadores deduzem que se encontre na cidade egípcia de Alexandria.

O Ministério da Cultura disse que os estudos sobre os ossos encontrados na tumba mostraram que a mulher enterrada tinha mais de 60 anos e cerca de 1,57 metro de altura, enquanto os dois homens tinham entre 35 e 45 anos.

Um dos homens possuíam marcas na parte esquerda de seu peito, provavelmente provenientes de lesões mortais infligidas por uma faca ou pequena espada, disse o ministério. Os homens tinham uma altura estimada entre 1,62 metro e 1,68 metro.

Os poucos restos de ossos queimados da quinta pessoa enterrada, que foi cremada, não permitiram revelar o sexo do indivíduo, e as autoridades disseram que novos exames serão realizados.

Análises adicionais também serão feitas nos ossos da mulher e dos dois homens para determinar se eram parentes.

"Parte da análise vai determinar uma possível relação de sangue... mas a falta de dentes e partes cranianas, que são usadas em análises de DNA antigos, pode não permitir uma identificação bem-sucedida", disse o ministério.

As escavações no local perto da segunda maior cidade da Grécia, Thessaloniki, começaram em 2012 e capturaram a atenção mundial em agosto passado, quando os arqueólogos anunciaram a descoberta de uma vasta tumba guardada por duas esfinges e cercada por uma muralha de mármore de 497 metros.

(Reportagem de George Georgiopoulos)

 
Menina tira foto de leão de mármore perto de local de escavação arqueológica na cidade de Amphipolis, no norte da Grécia. 22/11/2014 REUTERS/Alexandros Avramidis