Jornal iraniano é suspenso após mostrar Clooney usando broche "Je suis Charlie"

segunda-feira, 19 de janeiro de 2015 18:02 BRST
 

DUBAI (Reuters) - O Judiciário linha-dura do Irã suspendeu um jornal reformista depois que o veículo publicou uma foto do ator de Hollywood George Clooney usando um broche com a frase "Je suis Charlie" ("Eu sou Charlie"), afirmaram jornais iranianos nesta segunda-feira.

O jornal Mardom-e Emrooz foi criticado depois de publicar a imagem do ator norte-americano na cerimônia do Globo de Ouro, na semana passada, exibindo seu apoio às vítimas de um ataque mortal ocorrido há duas semanas contra o semanário satírico Charlie Hebdo em Paris.

O órgão conservador de supervisão da imprensa revogou a licença do Mardom-e Emrooz apenas três semanas depois que começou a circular com a promessa de apoiar o presidente iraniano, Hassan Rouhani, e seu programa de liberalização política e social, afirmou a agência oficial de notícias Irna, citando o membro do conselho Allaeddin Zohurian.

Como muitas outras celebridades de Hollywood, Clooney é popular entre os jovens iranianos, embora só consigam assistir aos seus filmes em vídeos piratas. Quase todas as produções de Hollywood são proibidas na República Islâmica por serem "culturalmente decadentes".

Doze pessoas foram mortas no ataque de 7 de janeiro na redação do Charlie Hebdo, realizado em retaliação à publicação pelo jornal francês de caricaturas do profeta Maomé.

Milhares de radicais islâmicos se reuniram em frente à embaixada francesa nesta segunda-feira para protestar contra uma nova caricatura do profeta publicada na quarta-feira passada na primeira edição após o tiroteio.

A caricatura provocou confrontos violentos em outros países muçulmanos.

(Reportagem de Mehrdad Balali)

 
Ator George Clooney posa com o prêmio após ganhar o Globo de Ouro em Beverly Hills. 11/01/2015  REUTERS/Mike Blake