Dreamworks cortará 500 postos de trabalho e produzirá um filme a menos por ano

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015 10:17 BRST
 

Por Lehar Maan

(Reuters) - A DreamWorks Animation vai cortar cerca de 500 empregos, mais de um quinto de sua força de trabalho, e produzir um filme a menos por ano, como parte de uma grande reestruturação após uma série de fracassos de bilheteria.

As ações do estúdio de Hollywood subiram 6 por cento, para 22,63 dólares, depois do fechamento dos mercados na quinta-feira.

A DreamWorks, que manteve por duas vezes no ano passado conversações infrutíferas para sua venda, disse que planeja produzir dois longas-metragens por ano, em vez dos costumeiros três, e fechar seu estúdio no norte da Califórnia.

"Consideramos que nossos esforços para fazer três filmes a cada ano eram muito ambiciosos e levaram a um desempenho inconsistente", disse o CEO da empresa, Jeffrey Katzenberg.

A produtora das franquias "Shrek" e "Kung Fu Panda" informou perdas em dois dos últimos quatro trimestres, já que filmes como "A Origem dos Guardiões" tiveram fraco desempenho nos cinemas.

"Mesmo com uma atividade menor, se tudo correr de acordo com as expectativas, devemos ver uma rentabilidade maior significativa", disse a analista Marla Backer, da Research Associates LLC.

A DreamWorks tem enfrentado uma concorrência crescente entre o público das famílias, já que outros estúdios conquistaram o sucesso com filmes de animação, como a franquia "Meu Malvado Favorito", da Universal Pictures, e "Uma Aventura Lego", da Warner Bros.

Três dos seis filmes que a DreamWorks planeja lançar entre 2016-2018 são sequências, que demandam menos custos de propaganda e praticamente garantem uma forte venda de ingressos.

 
Presidente-executivo da Dreamworks, Jeffrey Katzenberg, durante apresentação em Las Vegas. 6/01/2014. REUTERS/Robert Galbraith