"Birdman" leva prêmio de melhor elenco do sindicato dos atores de Hollywood

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015 11:50 BRST
 

Por Mary Milliken e Eric Kelsey

LOS ANGELES (Reuters) - "Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância)", um filme satírico sobre como agir no mundo implacável do show business, ganhou os principais prêmios da associação de atores de Hollywood (o Screen Actors Guild), em uma importante demonstração de apoio à sua trajetória para o Oscar de melhor filme.

Os atores de "Birdman" foram escolhidos como o melhor elenco de filme pelo SAG um dia depois de seu diretor, o mexicano Alejandro G. Iñárritu, ter sido premiado pela associação dos produtores de cinema de Holywood.

Embora o prêmio SAG de melhor elenco nem sempre se traduza na conquista do Oscar de melhor filme, concedido pela Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood, ele indica que os atores, o maior bloco de eleitores do Oscar, favorecem esse filme em detrimento de outro forte concorrente, "Boyhood – da Infância à Juventude".

Michael Keaton, cuja própria trajetória irregular na carreira espelha as agruras do protagonista de "Birdman", Riggan Thomson, disse que tinha certeza de que os cerca de 100.000 membros do SAG encontrariam uma alma gêmea no filme.

"Acho que os atores amaram esse filme por mostrar a coragem que os atores tiveram, de ir lá fora e dizer toda a verdade", disse Keaton. "Acho que é por isso que, respeitosamente, eles os viram como um grupo que merecia ganhar o prêmio."

"Birdman" pode consolidar a sua condição de favorito para o Oscar, marcado para 22 de fevereiro, se levar o prêmio principal da associação dos diretores, dentro de duas semanas.

Os prêmios individuais do SAG foram para os quatro artistas que ganharam Globos de Ouro há duas semanas: Julianne Moore, Eddie Redmayne, Patricia Arquette e JK Simmons.

Membros do SAG valorizaram os desempenhos de dois atores que interpretaram personagens com doenças graves.   Continuação...

 
Elenco de "Birdman" posa com prêmio SAG em Los Angeles. 25/01/2015  REUTERS/Mike Blake