Spielberg: 70 anos após Holocausto judeus ainda enfrentam antissemitismo

segunda-feira, 26 de janeiro de 2015 21:27 BRST
 

CRACÓVIA, Polônia (Reuters) - O cineasta Steven Spielberg disse nesta segunda-feira que espera que as celebrações do fim do Holocausto que ocorrerão na Polônia na terça-feira sejam um aviso para as gerações futuras, tendo em vista a crescente onda de antissemitismo e intolerância contra judeus.

Spielberg conversou com sobreviventes do Holocausto em Cracóvia, no sul da Polônia, antes do principal evento que lembrará os 70 anos desde que tropas soviéticas libertaram o campo de extermínio nazista alemão de Auschwitz.

"Se você é um judeu hoje, na verdade se você é qualquer pessoa que acredita na liberdade de religião, liberdade de discurso, liberdade de livre expressão, você sabe que, como muitos outros grupos, estamos mais uma vez enfrentando os demônios perenes da intolerância", disse o cineasta premiado com o Oscar.

Spielberg, que ganhou um Oscar de Melhor Diretor por "A Lista de Schindler", seu filme de 1993 sobre um alemão que salvou mais de mil refugiados, em sua maioria judeus polacos, durante o Holocausto, alertou para a disseminação do antissemitismo.

"(Há) páginas no Facebook que identificam os judeus e suas localizações geográficas com a intenção de atacar e com esforços crescentes para banir os judeus da Europa", disse Spielberg.

"Minha esperança para as celebrações de amanhã é que os sobreviventes se sintam confiantes de que estamos renovando o apelo deles pela memória. Que não só vamos tornar as próprias identidades deles conhecidas, mas ajudar a formar uma consciência significativa, uma consciência coletiva para as gerações vindouras."

A celebração de terça-feira na localidade no sul da Polônia, onde os nazistas mataram cerca de 1,5 milhão de pessoas, principalmente judeus europeus, entre 1940 e 1945, pode ser o último grande evento com a participação de vários sobreviventes.

 
Cineasta Steven Spielberg chega para um evento dos sobreviventes do Holocausto, em Cracóvia, na Polônica, nesta segunda-feira. 26/01/2015 REUTERS/Lukasz Krajewski/Agencja Gazeta