Filme de sobrevivência feminina no Ártico dá pontapé inicial do Festival de Berlim

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015 19:28 BRST
 

Por Michael Roddy

BERLIM (Reuters) - Um filme sobre a sobrevivência no Ártico de duas mulheres – a esposa do explorador do polo norte Robert Peary e uma jovem inuíte - que lutam por suas vidas em uma cabana enterrada na neve abriu o 65o Festival Internacional de Cinema de Berlim nesta quinta-feira.

“Meu primeiro urso”, diz triunfante a matrona da alta sociedade Josephine Peary, interpretada pela atriz francesa Juliette Binoche, logo nos primeiros momentos de "Nobody Wants the Night", longa da diretora espanhola Isabel Coixet, ao abater um urso polar com apenas um tiro.

A situação degringola rapidamente à medida que a rica e teimosa Peary força os inuítes e alguns exploradores veteranos do Ártico, um deles interpretado pelo ator irlandês Gabriel Byrne, a irem em uma malograda incursão em busca de seu marido, a quem ela raramente vê em sua casa em .

A jornada de autodescoberta da senhora Peary no frio e gelo, em um filme que afirma ser “inspirado em personagens reais”, inclui a descoberta de que a inuíte Alaka, interpretada pela atriz japonesa Rinko Kikuchi, manteve relações sexuais com seu marido.

Apesar disso, as duas se conectam, em uma camaradagem feminina, enquanto lutam para sobreviver sem calefação, com apenas um cão e tendo carne de foca como alimento.

A diretora espanhola Isabel Coixet rechaçou as insinuações de que a relevância de seu filme estaria no fato de ter sido somente a segunda obra dirigida por uma mulher até hoje a abrir o prestigioso festival de cinema de Berlim.

“Falamos sobre gênero... o jeito que falamos sobre isso fica dando voltas”, disse a diretora catalã durante uma coletiva de imprensa. “Eu quero mais dinheiro para as mulheres, não quero salários iguais, quero maiores”.

 
Diretora Isabel Coixet durante evento em Roma. 15/11/2013.  REUTERS/Max Rossi