Jamaica celebra 70º aniversário do nascimento de Bob Marley

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015 10:50 BRST
 

Por Horace Helps

KINGSTON (Reuters) - Os jamaicanos comemoram nesta sexta-feira o 70º aniversário do nascimento da lenda do reggae Bob Marley com uma apresentação musical informal em sua antiga casa e um show gratuito, mas a ilha do Caribe ainda continua a debater se ele merece um lugar no panteão de heróis nacionais.

Marley, que nasceu em Nine Miles, no noroeste da Jamaica, morreu de câncer aos 36 anos, em 11 de maio de 1981, em um hospital do Estado norte-americano da Flórida.

A "mini jamsession" está marcada para a antiga casa de Marley em Hope Road, norte de Kingston, bem como debates sobre o reggae, um gênero popular que começou na Jamaica na década de 1960, com fortes influências do calypso e jazz, e com letras de protesto social.

Um show gratuito à beira-mar em Kingston, no sábado, deve atrair multidões. Haverá apresentação de artistas de reggae locais, incluindo um dos filhos de Bob Marley, Ky-Mani. A polícia anunciou desvios de tráfego e fechamento de ruas, já prevendo uma grande concentração de pessoas.

"Eu não estava aqui quando Bob estava vivo ... mas as pessoas ainda estão animadas com a sua música", disse Marcia Facey, de 32 anos, uma estilista que vive em Kingston.

A Jamaica tem debatido durante anos a incorporação de Marley à sua Ordem do Herói Nacional, a mais alta honraria do país. Os atuais sete heróis jamaicanos são figuras políticas.

Não houve a inclusão de nenhum herói desde a década de 1980 e um comitê tem analisado as candidaturas nos últimos três anos, com Marley e o ex-primeiro-ministro Michael Manley em uma lista de dez nomes citados.

"É chegada a hora de o governo fazer dele o nosso oitavo herói nacional", disse Errol Campbell, de 57 anos, um mecânico, também de Kingston. "Bob foi um gênio do reggae que fez mais pela Jamaica do que a maioria dos outros, por popularizar a nossa música", acrescentou.   Continuação...

 
Turistas leem placa dedicada a Bob Marley do lado de fora do museu do cantor em Kingston. 13/12/2013 REUTERS/Gilbert Bellamy