Berlim tem um novo museu, com corpos de mortos

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015 13:03 BRST
 

Por Juliana Woitaschek

BERLIM (Reuters) - Uma exposição permanente em um museu, mostrando cadáveres preservados e sem pele para revelar a complexidade do corpo humano, abre nesta quarta-feira em Berlim.

O projeto do anatomista alemão Gunther von Hagens e sua mulher, Angelina Whalley, exibe corpos que receberam silicone e resina, em um processo conhecido como "plastinação", inventado por Von Hagens.

Apelidado de "Doutor Morte", Von Hagens estava em turnê com a controversa exibição "Body Worlds" desde 1995, atraindo cerca de 40 milhões de visitantes.

Berlim agora é casa do primeiro local permanente para seu trabalho, localizado em frente à amada torre de televisão na Alexanderplatz.

Cobrindo uma área de 1.200 metros quadrados, a exibição mostra 20 corpos abertos, mostrando músculos, veias e ossos, em poses da vida real, como sentados, se alongando ou se exercitando.

Angelina Whalley disse que a exibição dá aos visitantes uma nova perspectiva em seus corpos e estilos de vida.

"Após visitar a exposição algumas pessoas disseram que nunca mais iam deixar de ligar para seus corpos", afirmou ela, contando que uma pesquisa feita seis meses após as pessoas visitarem a exibição itinerante, mostrou que 9 por cento delas pararam de fumar, 23 por cento passaram a se exercitar mais e 30 por cento decidiram comer de forma mais saudável.

No entanto, nem todos em Berlim ficaram entusiasmados com a ideia de corpos mortos em tempo integral residindo na cidade.   Continuação...

 
Exposição  "Body Worlds" permanente no museu Menschen, em Berlim, antes da abertura. 17/2/2015 REUTERS/Stefanie Loos