Príncipe Harry, da Grã-Bretanha, deixa Forças Armadas após 10 anos

segunda-feira, 16 de março de 2015 21:50 BRT
 

LONDRES (Reuters) - O príncipe britânico Harry anunciou nesta terça-feira que vai deixar as Forças Armadas após uma década de serviço que incluiu duas missões no Afeganistão.

Neto da rainha Elizabeth e quarto na linha de sucessão do trono britânico, ele disse que irá sair das Forças Armadas em junho após uma missão de quatro semanas junto à Força de Defesa australiana.

"As experiências que tive ao longo dos últimos 10 anos vão ficar comigo para o resto da vida. Sempre serei extremamente grato por isso", disse Harry, de 30 anos, considerando que a decisão foi "muito difícil".

"Estou considerando as opções para o futuro, e estou realmente animado com as possibilidades."

Conhecido no Exército como capitão Harry de Wales, o príncipe começou treinando na escola de formação militar de Sandhurst em 2005. Ele realizou sua primeira missão no Afeganistão no fim de 2007.

Seu envolvimento militar reforçou a sua popularidade na Grã-Bretanha e ajudou a superar sua reputação anterior como uma criança real rebelde, apesar de um revés em 2012, quando foi fotografado nu e jogando sinuca numa sala privada em Las Vegas.

Seu gabinete disse que Harry, que vai cair para quinto na linha de sucessão com o nascimento do segundo filho de William ainda neste ano, fará voluntariado para aprender mais sobre o trabalho de conservação na África subsaariana.

Ele, então, voltará a trabalhar no Ministério da Defesa, numa base voluntária, enquanto "considera outras oportunidades de emprego de longo prazo".

(Reportagem de Michael Holden)

 
Príncipe Harry, da Grã-Bretanha, em Londres. 13/03/2015 REUTERS/Stefan Wermuth