ESTREIA-"Terceira Pessoa" interliga histórias em autoanálise autoral do cineasta Paul Haggis

quarta-feira, 18 de março de 2015 16:10 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - Independentemente do meio que utilize para expressar a sua arte, um autor sempre imprimirá suas próprias questões e experiências individuais, direta ou indiretamente, em sua obra. A grande sacada é, então, transformar uma confissão pessoal em um manifesto universal, capaz de atingir e envolver o público.

O cineasta Paul Haggis bem que tenta fazer isso em seu novo filme, “Terceira Pessoa” (2013), mas não consegue que os espectadores embarquem em sua viagem pelos seus recônditos dilemas de roteirista.

Assim como em seu primeiro longa como diretor, o vencedor do Oscar “Crash – No Limite” (2004), ele explora histórias múltiplas que se interligam para mostrar um panorama: racial, no caso de seu début, e, agora, emocional para falar de amor, verdades, mentiras e culpa.

São três tramas localizadas em diferentes metrópoles, Nova York, Roma e Paris, estreladas por um grande elenco, parecendo até uma amálgama de produções da série cinematográfica “Cities of Love”, cujo último exemplar foi “Rio, Eu Te Amo” (2014).

A mais dramática delas é a nova-iorquina, focada na fracassada atriz de novelas Julia (Mila Kunis), que vê sua vida degringolar após um acidente doméstico ocorrido com seu filho.

Ela perde a guarda do garoto, que fica sob a responsabilidade do pai da criança e seu ex-marido, o pintor Rick (James Franco, em uma interpretação rasa), que não a deixa ver o pequeno.

Sem trabalho e sem amigos, a moça pula de emprego em emprego para poder sobreviver e pagar a advogada (Maria Bello), que se esforça para demonstrar a inocência da jovem mãe, que só quer ver o seu menino de novo.

Apesar de ser o que mais se utiliza de estereótipos, o segmento italiano é o que prende mais a atenção do público.

Nele, Scott (Adrien Brody, com um humor romântico), um espião industrial que rouba designs de grifes de moda, fica instigado a entrar no chamado Bar Americano antes de deixar Roma.   Continuação...

 
O diretor Paul Haggis  chega a uma festa em West Hollywood, na Califórnia, no início de março. 02/03/2014 REUTERS/Danny Moloshok