Roteirista iraniano está "bem" após ser preso ao voltar ao Irã

segunda-feira, 30 de março de 2015 20:06 BRT
 

OTTAWA (Reuters) - Um roteirista e produtor de televisão iraniano que mora no Canadá foi preso na importante penitenciária de Evin, em Teerã, logo depois de voltar ao seu país natal, mas ele está bem, afirmou seu filho nesta segunda-feira.

As autoridades iranianas prenderam Mostafa Azizi, que tem residência permanente no Canadá, em 1 de fevereiro, e acusaram o roteirista de insultar o líder supremo do Irã, aiatolá Ali Khamenei, e espalhar propaganda contra o establishment islâmico.

"Não quero especular sobre as provas que estão sendo usadas contra o meu pai, mas estou confiante de que ele não cometeu nenhum erro, nem desrespeitou a lei", disse seu filho Arash Azizi à Reuters.

Arash, um jornalista canadense que vive em Londres, disse que seu pai foi colocado em confinamento solitário durante os primeiros 14 dias, mas tem tido permissão de telefonar para ele e sua irmã e outras pessoas regularmente da prisão.

"É certo que ele está em boa forma física e psicológica", disse o filho.

A fotógrafa iraniana-canadense Zahra Kazemi morreu em 2003 de hemorragia cerebral após receber uma pancada na cabeça em Evin. Ela estava tirando fotos do lado de fora da prisão.

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores canadense, François Lasalle, disse que o governo estava "ciente dos relatos" da prisão de um residente permanente no Canadá, mas não tinha como dar mais informações.

Ele observou que a embaixada canadense no Irã está fechada até novo aviso.

"No contexto de tensões regionais intensas, cidadãos com dupla nacionalidade iraniana e canadense e residentes permanentes no Canadá com cidadania iraniana podem ser particularmente vulneráveis a investigação e perseguição por parte das autoridades iranianas", disse ele.

Mostafa Azizi tem audiência num tribunal iraniano marcada para 1 de junho.

(Reportagem de Randall Palmer)