Rússia proíbe estreia de filme sobre assassino de crianças na era soviética

sexta-feira, 17 de abril de 2015 18:58 BRT
 

LONDRES (Reuters) - Um filme de Hollywood sobre um assassino em série na era soviética que estreou nesta sexta-feira não chegará às telas russas, pois o governo proibiu a exibição devido ao que chamou de "distorção de fatos históricos".

"Child 44", baseado no romance de 2008 do autor Tom Rob Smith, trata-se da caçada a um assassino de crianças durante a década de 1950 na Rússia estalinista.

O ator britânico Tom Hardy, que voltará às telas no mês que vem na nova versão de "Mad Max", interpreta o personagem principal, o oficial do Ministério de Segurança Estatal soviético Leo Demidov. Também atuam no filme Noomi Rapace, Joel Kinnaman e Gary Oldman.

Contudo, o Ministério da Cultura proibiu o filme nesta semana depois da pré-estreia, disse em comunicado.

"O ministério recebeu questionamentos sobre o conteúdo do filme, em particular a distorção de fatos históricos e a peculiar interpretação de eventos antes, durante e depois da Grande Guerra Patriótica, assim como de imagens e personalidade de cidadãos soviéticos nesse período histórico", acrescentou.

O ministério disse ainda que a distribuição do filme seria "inaceitável" semanas antes do 70º aniversário do fim da "Grande Guerra Patriótica", a Segunda Guerra Mundial.

"Não disseram quais fatos eles acreditam que foram distorcidos. Quando escrevi o livro, não me pareceu um livro polêmico. Pensei que era uma grande histórica", disse Smith na quinta-feira na pré-estreia em Londres.

"Os fatos sobre o regime estão bem demonstrados. Foram publicados em muitos livros... Quando li sobre "fatos distorcidos", me perguntei imediatamente a quais fatos estavam se referindo", acrescentou.

(Reportagem de Francis Maguire)

 
Ator Tom Hardy, que participa do filme "Child 44", durante entrevista em Toronto. 06/09/2014.   REUTERS/Fred Thornhill