Jornal da Carolina do Sul ganha Pulitzer por serviço público; NYT vence por cobertura do Ebola

segunda-feira, 20 de abril de 2015 17:24 BRT
 

Por Ellen Wulfhorst

NOVA YORK (Reuters) - O jornal The Post and Courier, de Charleston, na Carolina do Sul (EUA), venceu o prestigioso Prêmio Pulitzer na categoria serviço público pela série de reportagens sobre violência doméstica contra mulheres, intitulada "Till Death Do Us Part" (Até Que a Morte Nos Separe).

O jornal The New York Times venceu nas categorias reportagem internacional e fotográfica pela cobertura da epidemia de Ebola na África Ocidental, e o St. Louis Post-Dispatch recebeu o Pulitzer de fotografia pelos confrontos de Ferguson, em Missouri.

Os prêmios Pulitzer, concedidos anualmente pela Universidade de Columbia, foram anunciados nesta segunda-feira. As premiações destacam o trabalho na área jornalística, literatura, drama, entre outras categorias nos Estados Unidos.

Outros homenageados incluem a equipe do jornal The Seattle Times pela cobertura de um desabamento fatal, o jornal The Wall Street Journal por "Medicare Unmasked" (Medicare Desmascarado), e a repórter do Washington Post Carol Leonnig pela cobertura de falhas de segurança no Serviço Secreto.

O prêmio na categoria ficção ficou com "All the Light We Cannot See" (Toda Luz Que Não Podemos Ver), de Anthony Doerr, publicado no Scribner.

 
Fotojornalista australiano Daniel Berehula posa para foto em Nova York nesta segunda-feira. Ele ganhou prêmio Pulitzer de Fotografia 2015 pela cobertura do surto de Ebola na África para o jornal The New York Times. 20/04/2015 REUTERS/Adrees Latif