Dinamarca proíbe bestialismo para evitar turismo sexual com animais

terça-feira, 21 de abril de 2015 14:23 BRT
 

COPENHAGEN (Reuters) - A Dinamarca aprovou uma lei nesta terça-feira determinando a proibição da bestialismo, aumentando assim o rigor em uma legislação que ativistas temiam estar incentivando o turismo sexual com animais no país.

A lei complementa uma proibição anterior sobe relações sexuais que machucassem os animais, algo que o ministro da Agricultura, Dan Jorgensen, argumentou ser difícil de provar.

"A legislação atual não protege os animais suficientemente. É difícil provar se um animal sofre quando um humano tem relação sexual com ele, e é por isso que devemos dar ao animal o benefício da dúvida", disse Jorgensen, em um artigo opinativo.

Aqueles que votaram a favor do projeto disseram que a Dinamarca não queria continuar a ser o último país do norte da Europa onde o bestialismo fosse permitido, pois atrairia o turismo sexual com animais.

Alemanha, Noruega, Suécia e Grã-Bretanha já haviam proibido anteriormente o bestialismo.

"Há relatos frequentes de ocorrência de shows de sexo com animais organizados em clubes e bordéis na Dinamarca", afirmou o Conselho de Ética para Animais dinamarquês, um conselho consultivo independente ligado ao ministério da Agricultura e de Alimentos, em um relatório, acrescentando que não pode verificar os relatos.

Ativistas dos direitos dos animais incluindo PETA (Pessoas pelo Tratamento Ético dos Animais) pediram ao primeiro-ministro, Helle Thorning-Schmidt, e a Jorgensen a alteração na legislação.

(Reportagem de Alexander Tange)