ESTREIA-“Vingadores” divertem em uma sequência de excessos

quarta-feira, 22 de abril de 2015 15:57 BRT
 

SÃO PAULO (Reuters) - Não é apenas pelo conceito, técnica ou carisma do elenco que o filme “Vingadores: Era de Ultron” tem sido considerado o candidato a blockbuster do ano. Ele está no meio de um bem-arquitetado mosaico de franquias bilionárias, com produtos e subprodutos, para o cinema, TV a cabo e Internet, que se expandiu nos últimos anos no guarda-chuva de um pequeno pedaço do universo Marvel.

Além dos “Vingadores” (Thor, Homem de Ferro e Capitão América com suas sequências isoladas), na mesma gravidade orbitam “Guardiões da Galáxia” (2014), “Homem-Formiga” (estreia em junho), e as séries “Agents of S.H.I.E.L.D.,” “Agent Carter”, além do novíssimo “Demolidor”. Todas estas produções se complementam mas não deixam de fazer sucesso por si.

Complexa, portanto, a arquitetura que coloca esta sequência de “Vingadores” no centro desse mundo, que mais tarde poderia até incluir os “X-Men” e o “Homem-Aranha”. Isto só não ocorreu ainda (já que existe na origem, os HQs) porque, além da Disney, os direitos sobre heróis e vilões da Marvel estão distribuídos entre os grandes estúdios, como Sony e Fox.

Nesse contexto, é fácil entender por que escolher como vilão Ultron, robô superinteligente e superpoderoso para a segunda parte. Embora sua origem tenha variações nos quadrinhos, trata-se de um inimigo interno. Explica-se: na versão de Joss Whedon, diretor e roteirista de “Vingadores”, ele é um androide (James Spader) criado pelo Homem de Ferro (Robert Downey Jr.) e Bruce Banner/Hulk (Mark Ruffalo) como arma para a paz mundial.

Trazer um alienígena, como Thanos (que aparece ao final dos créditos deste e do primeiro filme), bagunçaria todos os demais produtos na TV, que devem correr para acompanhar o progresso dos cinemas. Ultron portanto, que se volta contra os heróis e toda a humanidade, é um mal menor, facilmente explicável na esteira dos spin-offs.

Mas isso não quer dizer que este vilão seja menos perigoso. Depois de praticamente arrasar com o grupo, composto também pelo Capitão América (Chris Evans), Thor (Chris Hemsworth), Gavião Arqueiro (Jeremy Renner) e Viúva Negra (Scarlett Johansson), Ultron encabeça um plano para destruir a Terra.

Nesse conflito aparecerão o Mercúrio (Aaron Taylor-Johnson), a Feiticeira Escarlate (Elizabeth Olsen) e o Visão (Paul Bettany), como reticentes colaboradores.

Como é caro às produções da Marvel, todos os personagens são bem-humorados, usando-se o tom de comédia para assimilar a dureza dos conflitos, a grandiosidade dos efeitos especiais e, claro, a concepção visual superpop. Tudo em excesso, aliás, nas mais de duas horas de duração. Aqui, encontra-se o que há de melhor em termos de produção para um público ávido de filmes de ação, para quem cinema é lugar de entretenimento, e só.

(Por Rodrigo Zavala, do Cineweb)

* As opiniões expressas são responsabilidade do Cineweb

 
Ator Downey Jr. em lançamento europeu de "Vingadores", em Londres. 21/04/2015. REUTERS/Stefan Wermuth