Austrália pode sacrificar cães de Johnny Depp por violação de quarentena

quinta-feira, 14 de maio de 2015 10:19 BRT
 

Por Byron Kaye

SYDNEY (Reuters) - O Ministério da Agricultura da Austrália deu dois dias ao astro de cinema Johnny Depp para enviar seus cães de estimação de volta aos Estados Unidos para que possam passar por um período de quarentena em seu retorno à Austrália, do contrário terão de ser sacrificados.

Depp, 51 anos, está na Austrália para a filmagem de "Piratas do Caribe 5: Os Mortos Não Contam Histórias", o quinto filme da série. No mês passado, ele voou para a Austrália levando seus Yorkshire terriers, Pistol e Boo, em seu jato particular, sem declará-los à alfândega.

Depp não pode fugir das rigorosas leis australianas de importação de animais só porque ele é um dos artistas mais famosos do mundo, disse o ministro da Agricultura, Barnaby Joyce, nesta quinta-feira.

"O sr. Depp tem que levar seus cães de volta para a Califórnia ou vamos ter de sacrificá-los", disse Joyce à mídia. "Ele agora tem cerca de 50 horas para remover os cães. Pode levá-los no mesmo jato". Não ficou imediatamente claro onde estavam os cães.

Funcionários do governo foram na quarta-feira à casa alugada por Depp depois de serem avisados que os cães tinham sido vistos quando eram levados para uma loja de cuidados com animais, informou a emissora Australian Broadcasting Corp.

As filmagens do último filme da série "Piratas no Caribe" começaram em fevereiro, mas foram interrompidas por um mês porque Depp teve de voltar para os Estados Unidos para o tratamento de uma lesão na mão. Ele violou as leis de importação de animais no seu retorno, disse Joyce.

(Reportagem de Byron Kaye)

 
Ator Johnny Depp em Tóquio. 28/01/2015 REUTERS/Toru Hanai