May 28, 2015 / 9:25 PM / in 2 years

Jovens árabes e judeus usam música para promover harmonia em Israel

2 Min, DE LEITURA

Membros do Quarteto Polifonia (e/d) Feras Machour, Shir Semmel, Revital Bendersky e Mahdi Saadi posam para foto em Nova York, nos Estados Unidos, na quarta-feira. 27/05/2015Brendan McDermid

NOVA YORK (Reuters) - Estudantes árabes e judeus em Israel estão tentando superar as diferenças entre as duas comunidades um pouco de cada vez, utilizando programas de música clássica que atraem alguns dos melhores músicos do país.

A Fundação Polifonia, criada em 2011 pelos moradores de Nova York Deborah e Craig Cogut e pelo diretor artístico Nabeel Abboud-Ashkar, é focada na música, mas sua missão vai bem além disso.

"É para realmente dar aos jovens de ambas as comunidades uma chance para interagir e se tornar mais familiarizados uns com os outros, em acreditar que isso terá um efeito na sociedade, na sociedade israelense", disse Abboud-Ashkar em entrevista.

A fundação oferece instrução musical para jovens de todas as idades e possui um programa de apreciação musical para crianças mais novas, uma orquestra da juventude, conjuntos variados e uma emergente orquestra profissional.

Quatro estudantes, dois árabes e dois israelenses do Quarteto Polifonia, apresentaram-se em uma série de concertos em Nova York.

"Meus amigos próximos e familiares apoiam muito e sempre me dizem que é algo bom que estou fazendo", disse o violinista árabe Feras Machour, de 19 anos. "Eles também estão felizes que consigo ver o mundo e viajar por aí."

Reportagem da Reuters TV

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below