Polêmica, última peça atribuída a Shakespeare tem rara encenação em Londres

quinta-feira, 18 de junho de 2015 11:09 BRT
 

Por Barbara Lewis

LONDRES (Reuters) - Como todo amante do teatro sabe,  “Othello”, “Hamlet” e “Romeu e Julieta” são peças que terminam com o palco repleto de corpos, por isso é uma emoção rara assistir a um espetáculo de Shakespeare sem saber exatamente o que irá acontecer.

Esse suspense será proporcionado por um teatro londrino fora do grande circuito do West End que apresenta até 27 de junho uma peça que, mais do que “A Tempestade”, pode postular o título de última obra de William Shakespeare, mesmo sendo encenada menos de uma vez por década.

“The Two Noble Kinsmen” (“Os Dois Nobres Parentes”, em tradução livre), escrita em colaboração com John Fletcher, foi desdenhada durante muito tempo como um texto indigno de ser considerado como parte do cânone.

Em sua primeira produção em Londres desde 2000, o teatro White Bear, um palco minúsculo atrás de um pub no sul londrino que ganhou reputação e prêmios por sua disposição para correr riscos com peças novas e clássicos perdidos, defende com brilho a proposta de incluir a peça nas obras completas do dramaturgo inglês.

David Cottis, que dirige “The Two Noble Kinsmen”, referiu-se a ela como a “criança perdida” de Shakespeare.“É uma peça shakespeareana que você provavelmente nunca viu. Você pode se colocar no lugar da plateia jacobina original que a assistiu”, disse ele quando indagado sobre sua decisão de levá-la ao palco.

Cottis, que é conferencista na Universidade de Middlesex, além de fundador da companhia de teatro Instant Classics, também ficou interessado pelos temas inquestionavelmente shakespeareanos dos dilemas angustiantes despertados pelo amor e pelo poder limitado do ser humano para determinar seu próprio destino.

 
Foto de arquivo de imagem de William Shakespeare vista em queima de fogos em Stratford-upon-Avon. 23/04/2014 REUTERS/Suzanne Plunkett/Files