Weiland, ex-líder do Stone Temple Pilots, morreu por mistura de drogas

sexta-feira, 18 de dezembro de 2015 18:18 BRST
 

MINEÁPOLIS (Reuters) - A morte do cantor de rock Scott Weiland no ônibus da sua banda nos arredores de Mineápolis, nos Estados Unidos, em 3 de dezembro, foi resultado dos efeitos tóxicos de uma mistura de drogas, incluindo cocaína e ecstasy com álcool, e foi considerada um acidente, disse um legista do condado nesta sexta-feira.

Weiland, 48 anos, ex-líder da banda Stone Temple Pilots, estava excursionando com o seu novo grupo, o Wildabouts, quando morreu durante o sono em Bloomington, Minnesota. A polícia afirmou na ocasião que eles haviam encontrado uma pequena quantidade de cocaína no ônibus em que a banda fazia a tour.

O legista do condado de Hennepin declarou que a morte acidental de Weiland foi causada por mistura tóxica de drogas, mas também notou que o cantor da Califórnia tinha uma doença do coração, um histórico de asma e “dependência de substâncias”.

Weiland reconheceu no passado uma longa história de abuso com cocaína e heroína.

Ele se apresentou com o grupo Velvet Revolver por vários anos, e a banda Wildabouts lançou o seu disco de estreia neste ano.

(Reportagem de David Bailey) 

 
Scott Weiland durante premiação em Los Angeles. 4/11/2014. REUTERS/Kevork Djansezian