Arqueólogos encontram moradias britânicas "melhor preservadas" da Idade do Bronze

terça-feira, 12 de janeiro de 2016 14:59 BRST
 

LONDRES (Reuters) - Arqueólogos anunciaram nesta terça-feira ter descoberto o que se acredita serem as habitações da Idade do Bronze mais bem preservadas já encontradas na Grã-Bretanha, possibilitando um entendimento extraordinário sobre a vida pré-histórica de 3 mil anos atrás.

O conjunto de grandes casas circulares de madeira, construídas sobre palafitas, desabou em um incêndio e caiu em um rio, onde foi preservado pelos sedimentos, ficando intocado, segundo o departamento de preservação do governo britânico, Historic England.

As descobertas no local das habitações, em Whittlesey, no centro da Inglaterra, que os arqueólogos disseram ter ficado congelado no tempo e datarem de 1000 a 800 aC, incluem potes com comida e roupas.

"Estamos aprendendo mais sobre o que nossos antepassados ​​comiam, e os utensílios que eles usavam para cozinhar e comer", disse Duncan Wilson, diretor executivo do Historic England, em comunicado. "Esse local tem importância internacional, e sua escavação vai transformar a nossa compreensão do período".

Entre os achados, cerca de dois metros abaixo da superfície do solo, estavam esferas de vidro exóticas que seriam parte de um colar, pequenos copos raros, tigelas e jarros. Os arqueólogos também disseram que o local foi tão bem preservado que até mesmo as pegadas de seus habitantes foram encontradas.

 
Arqueóloga britânica da Universidade de Cambridge trabalha em local onde foram descobertas casas da Idade do Bronze perto de Peterborough. 12/01/2016 REUTERS/Peter Nicholls