Panda mais velha do mundo em cativeiro morre em Hong Kong

segunda-feira, 17 de outubro de 2016 11:14 BRST
 

HONG KONG (Reuters) - A panda gigante mais velha do mundo vivendo em cativeiro, Jia Jia, de 38 anos, sofreu uma eutanásia em Hong Kong porque sua saúde se deteriorou rapidamente nas duas últimas semanas, disse a empresa Ocean Park, sua proprietária, no domingo.

Jia Jia, cujo nome significa "boa", foi doada a Hong Kong em 1999, assim com outro panda, em comemoração ao segundo aniversário da devolução da cidade antes pertencente ao Reino Unido, sua antiga metrópole.

Nas últimas semanas o consumo de alimentos de Jia Jia caiu acentuadamente de 10 quilos para menos de 3 por dia, e seu peso médio caiu de 71 quilos para cerca de 67.

"Ao longo dos últimos dias, ela vinha passando menos tempo acordada e sem mostrar interesse por alimento ou fluidos. Sua condição se tornou pior na manhã de hoje (domingo). Jia Jia não conseguiu se locomover sem dificuldades e passou o dia deitada", informou a Ocean Park em um comunicado publicado em seu site.

"Ela se tornou tão debilitada que, com base em razões éticas e para evitar o sofrimento, os veterinários... concordaram com uma eutanásia caridosa para Jia Jia".

Os pandas estão ameaçados de extinção porque a maior parte de seu habitat natural foi destruído pelo desmatamento, o cultivo e as construções, de acordo com a entidade World Wildlife Fund (WWF).

Um levantamento do governo da China feito em 2014 estimou que 1.864 pandas vivem na natureza selvagem, um aumento de 17 por cento em relação a 2003. Eles também têm uma temporada de acasalamento excepcionalmente curta – as fêmeas só são férteis entre 24 e 36 horas por ano, disse a organização sem fins lucrativos Pandas International.

        

(Por Farah Master)

 
Panda Jia Jia vista em parque na China.      28/07/2015   REUTERS/Bobby Yip