Jennifer Lawrence diz a revista que hackear fotos é crime sexual

terça-feira, 7 de outubro de 2014 17:14 BRT
 

NOVA YORK (Reuters) - A vencedora do Oscar Jennifer Lawrence, uma das dezenas de atrizes, modelos e celebridades que já tiveram suas imagens íntimas publicadas online, falou pela primeira vez nesta terça-feira sobre o escândalo envolvendo fotos hackeadas, dizendo que é um crime e uma violação sexual.

Em entrevista à revista Vanity Fair, Lawrence, de 24 anos, disse que ficou com medo depois que as fotos foram divulgadas no mês passado e preocupada com o impacto que isso teria sobre sua carreira.

"Só porque eu sou uma figura pública, só porque sou atriz, não quer dizer que eu pedi isso", declarou Lawrence, que conquistou o Oscar de melhor atriz por "O Lado Bom da Vida", à revista.

A estrela da franquia de sucesso "Jogos Vorazes" disse que considerou escrever um pedido de desculpas, mas que estava em um relacionamento amoroso de quatro anos e percebeu que não tinha nada que pedir desculpas.

"Não é um escândalo", disse ela. "É uma violação sexual. É nojento. A lei precisa ser mudada, e nós precisamos mudar."

Lawrence estava namorando o ator britânico Nicholas Hoult, mas o casal se separou.

Fotos de Lawrence, da modelo Kate Upton, da atriz Kirsten Dunst e de outras mulheres foram aparentemente hackeadas das contas individuais do iCloud e enviadas para o fórum 4chan de compartilhamento de imagem.

O FBI disse que estava ciente da divulgação das fotos e lidando com o assunto. A Apple admitiu que certas contas de celebridades foram comprometidas, mas a empresa disse que nenhum dos casos investigados foi resultado de qualquer violação dos sistemas da Apple, incluindo o iCloud ou Find My iPhone.

O sistema iCloud permite aos usuários armazenar fotos e outros conteúdos e acessá-los de qualquer dispositivo Apple.

(Reportagem de Patricia Reaney)

 
A atriz Jennifer Lawrence chega para um evento em West Hollywood, na Califórnia, Estados Unidos, em março. 02/03/2014 REUTERS/Danny Moloshok