Iranianos aliviam frustrações "gritando" em nova galeria de arte contemporânea

segunda-feira, 10 de novembro de 2014 17:18 BRST
 

Por Michelle Moghtader

DUBAI (Reuters) - Uma galeria de arte contemporânea no centro de Teerã oferece aos iranianos a chance de aliviar as suas frustrações ao gritar em recipientes de barro esculpidos por um artista de Vancouver, que faz uma exposição no país de seus antepassados pela primeira vez.

Os potes de barro, alguns dos quais se assemelham a jarros de água tradicionais, não são projetados para conter líquidos, mas para diminuir as tensões da vida urbana --ruído, trânsito e poluição-- mesmo que apenas por um momento.

"Quando a lógica não consegue explicar, torna-se natural gritar. Os (potes) refletem muitas condições que enfrentamos, muitas vezes inexplicáveis com a lógica", disse o artista Babak Golkar à Reuters por e-mail a partir do Canadá na semana passada, logo depois da abertura de sua exposição.

O criador da galeria, Sohrab Kashani, disse que o local tem estado lotado com iranianos estilosos gritando em potes de vários formatos e tamanhos. Alguns são projetados para amplificar o som, alguns para silenciar, mas todos são feitos com a mesma argila típica de partes do Irã.

Golkar disse ter decidido que esse era o momento certo para retornar a Teerã depois de anos evitando expor seus trabalhos naquele país.

"Eu estava fisicamente fora por um longo tempo, mas mentalmente nunca deixei (o Irã). Voltar e se envolver ativamente, e não como um turista passivo, foi um verdadeiro privilégio", disse.

Ele, como muitos artistas contemporâneos que partiram de meios tradicionais como a pintura e a escultura, teve dificuldade em encontrar um lugar para trabalhar com projetos de arte experimentais e performáticos até que Sazmanab, um centro de arte privado fundado por Kashani, entrou em cena.

Kashani, um artista autodidata e curador, montou o centro em 2009 para combater a "escassez de estudos de arte contemporânea" em universidades iranianas.