ENTREVISTA–Paulo Coelho fala de trabalho, pressão e de "Adultério"

quinta-feira, 13 de novembro de 2014 11:54 BRST
 

Por Lisa VonAhn

NOVA YORK (Reuters) - Paulo Coelho conquistou um sucesso estrondoso escrevendo romances de temática espiritual, mas a capa de seu novo livro poderia levá-lo facilmente para as prateleiras de autores românticos.

Em “Adultério”, o autor do best-seller “O Alquimista”, elogiado por celebridades como a apresentadora de televisão Oprah Winfrey e o presidente russo, Vladimir Putin, adota uma perspectiva singular sobre um assunto muito discutido.

“Adultério” acompanha uma jornalista suíça que começa a questionar sua vida depois de entrevistar um autor que prefere a paixão à felicidade. Ela embarca em um caso extraconjugal com um namorado de juventude, uma experiência que desperta empolgação, raiva e desespero, e finalmente conduz ao crescimento espiritual.

O escritor Paulo Coelho conversou com a Reuters em Genebra, na Suíça, onde hoje vive.

P: No livro, você é o autor que prefere a paixão à felicidade?

R: Sim, com certeza. A felicidade é um lugar no qual, assim que você chega, não tem mais nada a fazer. Fica entediado. A paixão é um sobe e desce; é como uma montanha russa, sabe, e muito mais interessante para mim.

P: Você já escreveu do ponto de vista da mulher. É mais difícil para você do que da perspectiva masculina?   Continuação...

 
Escritor Paulo Coelho chega para estreia de filme "Anticristo", de Lars Von Trier, em Cannes. 18/5/2009 REUTERS/Christian Hartmann