ESTREIA-Suspense “Sétimo” usa charme de Ricardo Darín como escudo

quarta-feira, 26 de novembro de 2014 16:29 BRST
 

SÃO PAULO (Reuters) - Sucesso de bilheteria na Argentina e na Espanha, o suspense “Sétimo” é o enésimo filme a beneficiar-se do discreto charme do ator argentino Ricardo Darín – e a esconder-se atrás de sua indiscutível versatilidade para disfarçar buracos no roteiro atolado de clichês, assinado pelo diretor espanhol de segunda viagem Patxi Amezcua e o roteirista Alejo Flah.

Darín sustenta o interesse no filme, na pele de Sebastián, um advogado bem-sucedido e workaholic, separado de Delia (a atriz espanhola Belén Rueda, de “O Orfanato”), que não negligencia o contato com os dois filhos pequenos, Luca (Abel Dolz Doval) e Luna (Charo Dolz Doval).

É num dia comum, em que ele, mais uma vez, vem buscá-los para levar à escola, que se repete a usual brincadeira entre eles: o pai desce de elevador, enquanto os dois garotos correm escada abaixo. E, pela primeira vez, não chegam na frente, desaparecendo como por arte mágica.

Parte do tempo, a história sustenta-se com relativo êxito nessa tensão do sumiço misterioso dos meninos, ampliada pelos desacertos entre o casal e o clima de paranoia que se instala quando o esperado telefonema de um provável sequestrador tarda a acontecer.

Nesse clima, até o zelador (Luis Ziembrowski) e os vizinhos do prédio em que mora a família tornam-se automaticamente suspeitos, como um sujeito esquisito vislumbrado no elevador logo pela manhã, ou um francês que seria pedófilo condenado em seu país, ou até um velho delegado, Rosales (Osvaldo Santoro), que é um dos primeiros a oferecer sua ajuda.

O mundo externo também invade periodicamente este huis clos do prédio através das chamadas insistentes ao celular do advogado, atrasado para um compromisso importante no fórum, na defesa de um tipo poderoso e corrupto – um processo que, em última análise, poderia ter algo a ver com o sequestro das crianças.

Darín, como sempre está à vontade como um sujeito comum, de carne e osso, que é abalado por um dia de pesadelo, em que ele perde todas as referências e certezas. O primeiro problema é que não é tão bem desenvolvida a personagem de sua mulher, criando um desequilíbrio de que o filme não se recupera, ainda mais tendo em vista os caminhos da trama.

Em todo caso, é de entretenimento que se trata e “Sétimo”, filmado em Buenos Aires e tirando partido em várias cenas do ambiente urbano, pode preencher a fatura, ainda que apressando um pouco além da conta a solução final.

(Por Neusa Barbosa, do Cineweb)

* As opiniões expressas são responsabilidade do Cineweb

 
Ator Ricardo Darín durante entrevista em Cannes, em 17 de maio de 2014.               REUTERS/Yves Herman