Exposição de fotos em Londres mostra mudanças nas grandes cidades

terça-feira, 2 de dezembro de 2014 12:36 BRST
 

Por Michael Roddy

LONDRES (Reuters) - Eis uma imagem cativante para qualquer pessoa que tenha estado em Nova York em qualquer ocasião desde 1960: uma longa fileira de construções de três andares com um único arranha-céu no final do quarteirão, quase parecendo uma presença alienígena.

Trata-se de uma visão da metrópole norte-americana –e de um mundo– que desapareceu com o ritmo alucinante das edificações urbanas e que estava começando nos anos 1930, quando a fotógrafa norte-americana Berenice Abbott fez a foto em preto e branco em questão.

Seu trabalho memorável é só uma parte de uma exibição fascinante com mais de 250 imagens de 18 fotógrafos em exibição até o dia 11 de janeiro na Galeria Barbican, de Londres.

“Achávamos que seria muito árido”, disse a co-curadora Alona Pardo à Reuters durante uma visita à mostra “Construindo Mundos: Fotografia e Arquitetura nos Tempos Modernos”.

Não havia motivo para preocupação. Os trabalhos que preenchem a galeria, que vão dos anos 1930 até o presente, às vezes são tão espetaculares que quase saltam das paredes.

De longe, uma enorme foto colorida de Andreas Gursky lembra o interior de uma suntuosa casa de ópera, mas na verdade é a estação do metrô da Sé, em São Paulo. Um nível adicional de plataforma lotada foi inserido para enfatizar o que um crítico descreveu como “os círculos dantescos” da estação.

Perto está a vista inesquecível da montanha Mokattam, nas redondezas do Cairo, identificada pelo fotógrafo Bas Princen como “Cidade da Reciclagem de Lixo”.

A visão panorâmica revela um bairro repleto de edifícios baixos e sujos onde toda sacada, teto ou terreno vazio estão repletos de lixo, e quase não se veem as pessoas que vivem e trabalham no local – o que pode ser o xis da questão.   Continuação...